O que ainda falta para o Aeroporto de Cargas de Anápolis ser concluído

Obra que teve início em 2010, e já consumiu R$ 274 milhões, voltou a ser cobrada na Alego

Pedro Hara -
Visão aérea do Aeroporto de Cargas de Anápolis. (Foto: Divulgação)

Iniciada em 2010, a obra do Aeroporto de Cargas de Anápolis ainda não foi entregue. Até agora já foram investidos mais de R$ 270 milhões na construção.

No último dia 15 de julho, quando esteve em Anápolis, o ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas garantiu que a área entrará em operação.

“Nós vamos construir uma solução. É algo que vamos trabalhar com o Governo de Goiás, como tem sido a nossa parceria, muito estreita, para botá-lo de pé, torná-lo uma realidade”, prometeu.

No entanto, para que isso vire realidade, será necessário investir mais R$ 235 milhões. A estimativa foi feita pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Não será por falta de cobranças. Tanto é que nesta semana, o deputado estadual Antônio Gomide (PT), ex-prefeito de Anápolis, subiu na tribuna da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) para reclamar da situação e lembrar que o equipamento tem o potencial de impulsionar a economia local.

“O Aeroporto de Cargas de Anápolis tornará Goiás o segundo estado brasileiro a contar com este tipo de aeroporto. Uma obra que faz falta para a cidade e para a economia de Goiás”, afirmou.

No âmbito estadual, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transporte (Goinfra) é o órgão responsável por buscar uma forma de resolver os entraves que impedem a retomada das obras.

Ao Portal 6, o presidente da autarquia, Pedro Sales, explicou que no momento os esforços do Governo de Goiás se concentram em acabar com uma erosão originada na cabeceira da pista, decorrente do aterro de um córrego.

“Trata-se de um problema ambiental grave, que pode resultar em acidentes, diante das proporções que a erosão está alcançando”, disse.

Por enquanto, a Goinfra está realizando estudos para elaborar um projeto e contratar uma empresa que consiga reverter o deslocamento de terra. Ele estima que para isso serão necessários cerca de R$ 10 milhões.

Pedro Sales é presidente da Groinfra. (Foto: Divulgação)

Ainda não é possível cravar uma data para a retomada das obras, tampouco dizer quando ela será finalizada para que o terminal entre em operação.

“Somente após a elaboração desse projeto de engenharia, será possível apontar o valor real e o tempo necessário para que o Aeroporto de Cargas seja entregue à população”, ressaltou Pedro Sales.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.