Goianos imunizados com Coronavac que forem para o exterior terão direito a dose extra de outra vacina

Complementação do esquema vacinal deve ser liberada apenas para "indivíduos que necessitam viajar por razões de trabalho, estudo ou saúde''

Augusto Araújo -
(Foto: Renato S. Cerqueira/Folhapress)

Os goianos que foram protegidos com a Coronavac podem precisar de uma dose extra de outro imunizante para viajar ao exterior, já que alguns países não aprovaram a aplicação da vacina.

Após ser procurada pelo Portal 6, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) publicou na última sexta-feira (05) uma Nota Informativa indicando que seguirá as orientações do Ministério da Saúde.

Sendo assim, os viajantes goianos que já receberam as duas doses da Coronavac, e vão para países onde o imunizante não está na lista de vacinas autorizadas, poderão receber uma terceira dose de outro laboratório aceita pelo local de destino.

O intervalo mínimo entre o primeiro esquema de vacinação e a dose extra do outro imunizante será de 28 dias.

Quem tem direito?

Conforme o Ministério da Saúde, a complementação do esquema vacinal deve ser liberada apenas para “indivíduos que necessitam viajar ao exterior por razões de trabalho, estudo ou saúde” e caso tenha disponibilidade de doses, conforme explica o órgão de saúde.

Em Goiás, para receber o acréscimo, será necessário uma solicitação formal do usuário e apresentação de documentos que justifiquem a aplicação da vacina.

As exigências comprobatórias para reivindicar a dose extra não foram explicitadas pela SES-GO.

A pasta, no entanto, recomenda que o viajante  consulte a embaixada ou consulado do país de destino para obter informações sobre permissões e exigências de entrada de estrangeiros, assim como especificações referentes às vacinas contra Covid-19 autorizadas no país.

Pfizer e AstraZeneca

Já para os goianos que pretendem sair do Brasil e foram imunizados com doses da Pfizer e da AstraZeneca, não há a necessidade de tomar dose extra.

Os viajantes poderão, inclusive, antecipar a segunda dose da vacina, seguindo as mesmas recomendações para a aplicação do reforço vacinal da Coronavac.

Para quem vacinou com a Pfizer é necessário aguardar no mínimo 21 dias para completar a imunização. Já para a AstraZeneca, serão 28 dias de intervalo.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.