Queixas de médicos e OS’s na saúde de Anápolis foram os principais temas de audiência na Câmara Municipal

Sindicatos sustentaram que essa opção seria apenas "terceirização" e "precarização da mão de obra", uma vez que os concursos públicos tendem a diminuir

Da Redação -
Audiência publica foi realizada no plenário da Camara Municipal. (Foto: Danilo Boaventura)

Realizada no plenário da Câmara Municipal, na noite de terça-feira  (09), a audiência publica que discutiu a situação da saúde pública em Anápolis contou com a participação de vários médicos, sindicalistas e representantes de sociedade civil organizada.

Foram vários os assuntos debatidos no evento, mas alguns ganharam mais densidade no debate.

O compartilhamento da gestão de unidades de saúde da rede municipal com organizações sociais (as chamadas OS’s) foi um deles.

Os sindicatos sustentaram que essa opção seria apenas “terceirização” e “precarização da mão de obra”, uma vez que os concursos públicos tendem a diminuir.

Presente na audiência, o vereador Policial Federal Suender (PSL) lembrou que essa é uma modalidade legal e usada até mesmo pela União. Ele ainda se colocou a disposição para fiscalizar as OS’s que forem contratadas para assumir as unidades, a exemplo da que está administrando o Hospital Municipal Alfredo Abrahão (antigo Cais Progresso).

Os médicos presentes também se queixaram de programas que estariam sendo descontinuados, como o  DST/AIDS, que é referência no pais, e a interrupção de cirurgias cardíacas devido ao aumento no preço de insumos e impostos.  Problemas na regulação para crianças com câncer igualmente foram objeto de denúncia.

Presentes no evento, os vereadores Marcos Carvalho (PT) e Jackson Charles (PSB) também entraram no debate. O petista reforçou que sempre vota e votará a favor dos servidores e sugeriu que a Comissão de Saúde da Câmara, presidida pelos vereadores Trícia Barreto (MDB) e José Fernandes (PSB), crie uma subcomissão para acompanhar a situação dos médicos durante a transição para o modelo de OS na rede municipal.

Ao falar, Jackson Charles, líder do prefeito Roberto Naves (Progressistas) no Legislativo anapolino, disse que estava ali para ouvir, mas pediu que os sindicatos também ajudem propondo soluções e não só reclamem.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.