Deputado apresenta projeto para isentar trabalhadores de pagarem pedágio entre Anápolis e Goiânia

"Dá, no mínimo, R$ 100 por mês. No ano, R$ 1.200. Daria para pagar o IPVA", afirmou o parlamentar nas redes sociais

Rafaella Soares -
Alysson Lima é deputado em Goiás. (Foto: Divulgação / Y. Maeda)

O deputado estadual Alysson Lima (SD) usou as redes sociais na terça-feira (16) para anunciar ter apresentado na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) um projeto de Lei contra o pagamento de pedágio na BR-153.

Na publicação, o parlamentar afirma que são milhares as pessoas que se deslocam diariamente de Goiânia para Anápolis, ou fazem o caminho oposto, apenas para trabalhar.

Por isso, o objetivo da matéria seria de isentar todos os trabalhadores que fazem esse trajeto diário de efetuarem o pagamento da taxa de pedágio, na altura do município de Goianápolis. Atualmente, a tarifa custa R$ 1,90 para quem passa pelo local de automóvel.

PublicidadePublicidade

O arquivo do projeto de Lei, com os argumentos e justificativas de Alysson Lima, ainda não está disponibilizado no site da Alego. No entanto, nas próprias redes sociais, o deputado detalhou porque considera a iniciativa tão importante.

“R$ 4 por dia dá, no mínimo, R$ 100 por mês para quem vai e volta todo dia. No ano, R$ 1.200. Daria para pagar o IPVA”, disse para um internauta.

(Foto: Captura)

Questionado se a medida não seria de responsabilidade da Câmara dos Deputados, uma vez que a praça de pedágio fica localizada em uma BR, Alysson sustentou que “como se trata de pedágio na região metropolitana, também é possível legislar de acordo com o estatuto das grandes metrópoles”.

(Foto: Captura)

Se aprovado na Alego, o projeto será encaminhado para sanção ou veto do governador Ronaldo Caiado (DEM).

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.