Acusado de matar jovem em boate de Goiânia é perigoso e a PC está atrás dele

Suspeito ostenta vida de luxo nas redes sociais e viu do alto do camarote o novo namorado da ex

Karina Ribeiro -
Crime aconteceu em boate conhecida de Goiânia às 4h da manhã. (Foto: Reprodução/ Instagram)

Luis Felipe Neves Castro, de 25 anos, é o principal suspeito de ter assassinado um jovem na madrugada de segunda-feira (22), numa boate do Setor Marista, em Goiânia.

Mesmo com apouca idade é um antigo conhecido da polícia, com passagens por roubo, estelionato e participação de organização criminosa no mundo do tráfico de drogas.

Apesar da Polícia Civil (PC) não ter encontrado nenhuma atividade lícita no nome do investigado, Luis Felipe ostentava uma vida de luxo.

PublicidadePublicidade

Morador de um flat no Setor Jardim Goiás, um dos metros quadrados mais cobiçados da capital, em suas redes sociais, coleciona fotos nos litorais de Maresias (SP) e Angra dos Reis (RJ), por exemplo. Vaidoso, já realizou diversos procedimentos estéticos.

O veículo que conduzia na noite do crime, um Hynduai HB20, foi encontrado na garagem do prédio onde morava, mas ele segue foragido.

A PC, inclusive, disponibilizou um número de WhatsApp – (62) 98524-1000 – exclusivo para denúncias do paradeiro do jovem.

O que já se sabe

De acordo com a Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), Luis Felipe e a vítima, Luis Roberto Chistichine, de 29 anos, não se conheciam.

O único elo que os unia era uma mulher. “Luis Felipe teve um relacionamento de quatro anos com essa mulher, com quem tinha um filho de três anos. Há três meses eles terminaram e ele deixou bem claro que mataria quem estivesse com ela”, explicou o delegado encarregado do caso, João Paulo Mendes. O investigado ainda dizia que só não a mataria a mulher porque ela teria que cuidar da criança.

Na noite do crime, conforme as apurações, Luis Felipe frequentou diversos bares de Goiânia antes de ir à boate.

Lá, ele estava com amigos no camarote e avistou a ex-companheira com o novo namorado. “Aparentemente foi um encontro por acaso. Na boate, ele chegou a mandar recados, mas não houve discussão, nada disso dentro do espaço”, explica o delegado. Luis Felipe teria esperado o momento certo para sair da local e desferir os tiros contra a vítima.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.