“Caminhoneiros não precisam de auxílio, Bolsonaro precisa cumprir a lei”, diz presidente do sindicato da categoria em Goiás

Vantuir Rodrigues afirma que apoio da categoria ao presidente vem diminuindo por conta da forma com que os profissionais são tratados

Pedro Hara -
(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Após o anúncio da criação do “auxílio caminhoneiro”, Jair Bolsonaro (sem partido) pode recuar da decisão. De acordo com interlocutores do Palácio do Planalto, a proposta não deve sair do papel por causa da alta do preço do diesel.

Em Goiás, a categoria dos caminhoneiros, que era base de apoio está abandonando o chefe do Poder Executivo. Em entrevista ao Portal 6, o presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Cargas (Sinditac), Vantuir Rodrigues, criticou o auxílio e as medidas que vem sendo tomadas por Bolsonaro.

“Caminhoneiros não precisam de auxílio, Bolsonaro precisa cumprir a Lei 13.103. Nós ganhamos a lei e o agronegócio judicializou. O agronegócio não quer pagar o piso mínimo pro caminhoneiro. 70% do transporte no país é feito por caminhoneiros autônomos, que tem de 01 a 03 caminhões, 30% apenas são das empresas”, disse. 

Por conta da maneira que vem sendo tratados por Bolsonaro, Vantuir explica que poucos são os profissionais da categoria que ainda apoiam o presidente.

“Tem poucos que o apoiam, mas não sei pra quem ele tá fazendo as medidas. Estou vendo a agressão aos  trabalhadores de várias categorias. Agredindo os caminhoneiros que mandam mensagem”, afirmou.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.