A corrida de Dominguinhos para antecipar eleição e se tornar Presidente da Câmara de Anápolis

Com histórico de mandato cassado e problemas com a polícia, o vereador demonstra internamente que tem apoio e o que negociar para assumir o lugar de Leandro Ribeiro

Caio Henrique -
Dominguinhos é o principal candidato ao posto de presidente da Câmara caso as eleições sejam antecipadas. (Foto: Ismael Vieira)

Conhecida como a Casa de Leis de Anápolis, a Câmara Municipal vive um momento de bastante mobilização e correria nos bastidores.

Isso porque o atual presidente, Leandro Ribeiro (PP), apresentou na sessão de terça-feira (14) o projeto de Resolução que propõe a antecipação das eleições para a composição da Mesa Diretora da câmara na próxima gestão.

O principal interessado na mudança do regimento interno, que atualmente proíbe tal ação, é justamente o vice-presidente, vereador Dominguinhos (PV).

A carreira política do candidato ao cargo é marcada por polêmicas, incluindo a cassação do mandato e registro de importunação sexual junto à Polícia Civil.

O Portal 6 apurou que o parlamentar conta com o apoio do Executivo municipal e alguns colegas de Casa para alcançar a posição de presidente, que não é uma aspiração de Leandro para o próximo mandato.

Controvérsia

A forma como a proposta está sendo conduzida, entretanto, chama a atenção. Isso porque há menos de três meses, o atual líder havia se posicionado contra a mudança.

Na ocasião, mais especificamente na sessão do dia 22 de setembro, Delcimar Fortunato estava tentando recolher assinaturas dos demais vereadores para antecipar a eleição, chegando até a pedir que o presidente mudasse o regimento.

“Já adianto que minha opinião é não. Ao antecipar as eleições, você prejudica o processo democrático da Casa, podendo trazer conflitos internos”, respondeu ele, à época.

Na contramão deste posicionamento prévio, o parlamentar do PP leu rapidamente a proposta, já na etapa de finalização da sessão de ontem (14), e confirmou o encaminhamento para as devidas partes autorizarem a votação no plenário.

Corrida contra o tempo

Agora, Domingos conta com o consentimento de praticamente todos os membros da Mesa Diretora para possibilitar uma nova eleição já na volta das atividades do recesso parlamentar, em fevereiro de 2022.

Caso a artimanha se complete, Anápolis terá um cenário inédito dentro da Câmara Municipal, onde o atual presidente comandará com um prazo de validade, já que o sucessor para 2024 estaria, em tese, já definido e em atuação no mesmo local.

A iniciativa de antecipar a votação, por outro lado, não é novidade e já foi aplicada em diversos outros locais, como a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), por exemplo.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.