Veja como cada um dos 23 vereadores de Anápolis votará sobre reajuste do IPTU

Portal 6 também questionou os parlamentares sobre a antecipação da eleição da Mesa Diretora

Caio Henrique -
Visão geral da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Anápolis. (Foto: Ismael Vieira)

Atualmente, dois projetos de Lei embalam as discussões nos bastidores da Câmara Municipal de Anápolis.

Um deles é a mais recente proposta do Executivo, encaminhada em caráter de urgência, para reajustar em 22% o valor da Planta Genérica de Valores (PGV), que foi modificada pela última vez em 2014 e serve para determinar a alíquota do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

O outro se trata da polêmica tentativa de antecipar as eleições para a composição da Mesa Diretora da Casa de Leis na próxima gestão – o que requere uma mudança no regimento interno da câmara.

Ás véspera da votação, que ocorrerá nesta quinta-feira (23), o Portal 6 procurou os 23 vereadores para saber qual a posição deles sobre cada um desses assuntos.

Nem todos atenderam à reportagem, mas os que responderam ao contato, em sua maioria, disseram que estão estudando as propostas.

No entanto, houve quem já adiantou o voto indicando que rejeitará aumentar o IPTU e antecipar a eleição da Mesa Diretora. Veja a seguir:

Andreia Rezende: ainda não se decidiu, segue estudando as propostas.

Cabo Fred Caixeta: sem retorno.

Cleide Hilário: sem retorno.

Delcimar Fortunato: sem retorno.

Dominguinhos: sem retorno.

Dra. Trícia Barreto: pretende votar contra em ambas. Entretanto, não informou os motivos até o momento de publicação desta reportagem.

Edimilson Mercado Serve Bem: sem retorno.

Frederico Godoy: aguarda a finalização da negociação de porcentagem de aumento do IPTU para se decidir. Não acredita na realização da votação para antecipação.

Hélio Araújo: sem retorno.

Jakson Charles: pretende votar a favor em ambas, considerando uma redução de 50% no reajuste proposto, ou seja, 11%. Quanto à votação, não acredita ter problema já que o motivo da mudança é apenas para não haver interferência com as eleições estaduais e federais no próximo ano.

Jean Carlos: segue estudando os projetos, ainda sem decisão.

João da Luz: voto condicionado à aprovação, ou não, da emenda que poderá abaixar o valor de reajuste para 11%. Ainda não se decidiu acerca da antecipação das eleições para Mesa Diretora.

João Feitosa: sem retorno prometido.

José Fernandes: ainda não tomou uma decisão final.

Leandro Ribeiro: sem retorno.

Lisieux Borges: “radicalmente contra as eleições”, por não enxergar algum problema institucional que possa justificar a medida. Reconhece a defasagem no processo do IPTU, especialmente em relação às residências mais antigas, mas condiciona o voto à sequência de negociações para abaixar a porcentagem de aumento.

Luzimar Silva: sem retorno.

Policial Federal Suender: irá votar contra em ambas as propostas. Do IPTU por acreditar que “o contribuinte não suporta mais aumento de carga tributária, que já está alta”. No que se refere à antecipação das eleições da Mesa Diretora, o parlamentar não enxerga motivo plausível para o feito, considerando a discussão “fora de época” e de menos importância dentro das necessidades atuais do município.

Professor Marcos: ainda não tomou uma decisão final, segue analisando.

Reamilton Espíndola: sem retorno.

Seliane da SOS: ainda não tomou uma decisão final.

Thaís Souza: aguarda a finalização da negociação sobre o preço do IPTU e apoia a antecipação da eleição, por acreditar que a questão não causará nenhuma interferência e ajudará na condução do próximo ano eleitoral.

Wederson Lopes: sem retorno.

Visualize melhor no infográfico:

Infográfico mostra como os 23 vereadores votarão sobre os projetos. (Arte: Elvis Diovany/Portal 6)

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.