Três regiões de Goiânia concentram quase metade dos casos de dengue da capital

Município possui sete áreas ao todo e boletim mais recente da SMS apontou quais delas possuem maior número de ocorrências

Augusto Araújo -
Água parada é um dos meios de reprodução do Mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. (Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil).

O boletim epidemiológico mais recente publicado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia apontou quais são as regiões da cidade mais atingida pela dengue em 2022.

Com informações atualizadas até o dia 25 de abril, o estudo indica que o Distrito Sanitário Noroeste (que engloba bairros como a Vila Mutirão, Novo Planalto, Morada do Sol) possui o maior índice de contaminação na capital.

Isso porque a taxa de incidência na região está em 3.136,3 casos por 100 mil habitantes. Em termos mais simples, é como se aproximadamente 03 a cada 100 pessoas no local tivessem pegado dengue.

Em números totais, foram 5.019 casos notificados no Distrito Noroeste. Nesse quesito, ele fica em segundo lugar no levantamento da SMS, atrás apenas do Distrito Sudoeste (Madre Germana, Vila Mauá, Parque Anhanguera), com 5.390 ocorrências.

A região inclusive ocupa o segundo lugar em taxa de incidência, com 2.872 registros por 100 mil habitantes.

Fechando o “pódio”, está o Distrito Leste (Parque Atheneu, Vila Pedroso, Jardim Mariliza), com 4.213 notificações de dengue e índice de recorrência de 2.253,4 por 100 mil habitantes.

Ao todo Goiânia possui sete regiões. No entanto, estas três somam 14.622 dos 32.463 casos notificados da doença até o momento, um pouco mais de 45%. A taxa média de incidência de 1885,8 por 100 mil habitantes, contabilizando todos os setores.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.