Paciente relata momentos de terror no consultório e denuncia médico em Goiânia

“Quando eu deitei, ele começou a tirar minha calça toda. Ele pegou um objeto, introduziu [nas partes íntimas] e ficava passando o dedo, a mão”, narrou

Da Redação -
O assédio sexual teria ocorrido durante uma consulta médica no Hospital Santa Helena, em Goiânia. (Foto: Reprodução/Hospital Santa Helena)

Uma mulher, de 41 anos, relata ter vivido momentos desesperadores durante uma consulta realizada no Hospital Santa Helena, em Goiânia, na última sexta-feira (06). A vítima denunciou que enquanto estava no consultório, sofreu abuso sexual pelo médico que lhe atendia.

Devido algumas complicações no intestino que foram causadas pela doença de Chagas, a paciente já havia realizado uma operação com o médico coloproctologista Pedro Antônio Albino, de 54 anos, e tratava com ele há sete anos. Porém, nada tinha acontecido até então.

Foi quando na última consulta, notou que o homem estava agindo de forma estranha, comentando que estava solteiro e perguntando se ela gostava de trair o marido.

Ao perceber o rumo da conversa, a mulher rapidamente o cortou e ele solicitou que se deitasse na maca para que pudesse ser examinada, momento em que tudo saiu do controle dela.

Ao G1, ela contou que o profissional da saúde teria tirado a roupa dela e começado a tocar nas partes íntimas.

“Quando eu deitei, ele começou a tirar minha calça toda. Ele pegou um objeto, introduziu [nas partes íntimas] e ficava passando o dedo, a mão. Passava a mão na boca, passava em mim”, narrou.

“Eu falei: ‘Doutor, eu não estou confortável’. Ele falou: ‘Olha para mim que você vai sentir orgasmo’ e pôs a língua em mim”, completou.

A vítima pediu para que o médico parasse e aproveitou a ida dele ao banheiro para correr e pedir por socorro. Porém, ela não teria sido atendida pelos funcionários, recebendo ajuda apenas depois quando outra paciente lhe ofereceu apoio.

A Polícia Militar esteve no hospital a procura do profissional, mas ele já havia deixado o local. A mulher então foi levada para a delegacia para prestar queixa e em seguida ao Instituto Médico Legal (IML).

“A gente passa por todo o constrangimento para poder provar para alguém que a gente não está mentindo. Doeu ficar lá naquele IML para fazer aqueles exames para poder tirar a saliva dele. Isso dói na gente”, relatou.

Pronunciamento 

O Hospital Santa Helena se pronunciou por meio de uma nota em que informou que Pedro Antônio Albino trabalha na equipe há mais de 20 anos e que  “nunca apresentou qualquer desvio ético em sua conduta com seus pacientes”.

A unidade hospitalar ainda afirmou que a mulher foi ouvida e acolhida pela direção e que agora estão apurando o ocorrido internamente e colaborando com as investigações policiais.

Para a CBN de Goiânia, o médico alegou estar assustado com a denúncia realizada pela paciente e disse que já buscou por um advogado.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.