Edital para a renovação da frota do Eixo Anhanguera com ônibus elétricos é suspenso pelo TCE-GO

Determinação vem após análise do órgão apontar "inúmeras fragilidades" no pregão eletrônico

Pedro Hara -
Contrato para empresa vencedora da licitação é de 16 anos. (Foto: Metrobus/Divulgação)

O edital de pregão eletrônico para a locação de 114 novos ônibus elétricos para renovar a frota do Eixo Anhanguera foi suspenso após decisão do Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE-GO).

Em abril, o Ministério Público de Goiás (MPGO), recomendou que o certame fosse suspenso. A abertura do processo estava prevista para a próxima segunda-feira (06).

O contrato oferecido a empresa vencedora da licitação será de 16 anos, com custo unitário mensal de R$ 69,6 mil. Ao término do contrato, o valor investido seria de R$ 1,46 bilhão.

Na decisão, o conselheiro Helder Valin pontuou que o Serviço de Análise Prévia e Editais e Contratos do TCE-GO, “apresentou diversos fundamentos para a suspensão imediata”, do pregão eletrônico.

Segundo o conselheiro, o edital possui “inúmeras fragilidades, desde a execução do procedimento de manifestação de interesse (PMI), que impactaram na etapa do planejamento da licitação, a qual revelou outros riscos”.

Responsável pela administração do Eixo Anhanguera, a Metrobus tem 15 dias para apresentar a defesa sobre os questionamentos feitos pelo TCE-GO.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.