Homem divide opiniões com exigência surreal para o parto da esposa: “ela deve se separar?”

"Estou me sentindo péssima por querer considerar a possibilidade", confessou a mulher gestante

Gabriella Licia -
gestante
Mulheres não podem, segundo a titular do juizado de infância de Goiânia, ser responsabilizadas pela entrega. (Foto: Reprodução)

Uma esposa decidiu compartilhar as diferenças que tem sofrido com o parceiro durante a gravidez e relato dividiu opiniões na internet após as exigência feitas pelo homem serem expostas.

Segundo a mulher, o dia de ganhar o bebê estava se aproximando e parteira marcou uma reunião para explicar melhor o procedimento e orientar sobre os possíveis analségicos para amenizar a dor.

“Estou grávida de 34 semanas e ontem fiz minha reunião com a parteira para traçar meu plano de parto. Meu companheiro estava presente e tudo ia bem até chegar na parte referente aos medicamentos para dor”, contou em um site de opiniões.

“Ela disse que alguns medicamentos podem afetar o bebê e o deixar um pouco sonolento. Isso assustou meu companheiro e agora ele quer me proibir de optar pelas medicações”, relembrou.

A grande questão é que a gestante está temendo muito as dores, por ter baixa resistência para dores. “Estou me sentindo péssima por querer considerar a possibilidade de tomar medicamentos para aliviar as dores do parto”.

Os usuários da plataforma ficaram indignados com o posicionamento dominante do esposo. “Seu corpo, sua escolha. Fim”, comentou uma pessoa

“Faça o que achar melhor para você. Quando seu companheiro der à luz ele poderá opinar”, afirmou outra, questionando ainda se ela “deve se separar’.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade