Estudante que aparece como organizador de “Torneio da Punheta” na UFG diz que tomará providências

Cartaz anunciando o evento foi afixado nos murais da instituição e rapaz passou a receber mensagens de outros alunos querendo saber sobre inscrições. UFG repudia o caso

Gabriella Licia -
Câmpus Samambaia da UFG, em Goiânia. (Foto: Reprodução/Secom)

O estudante, de 18 anos, que aparece no cartaz que anuncia um suposto “Torneio da Punheta” na Universidade Federal de Goiás (UFG) disse ao Portal 6 que tomará providências, pois está tendo seu nome e foto usados sem permissão.

Segundo o jovem, que estuda engenharia elétrica e pediu para não ser identificado, ele ingressou na instituição neste ano e está sendo vítima de perseguição por um colega que cursa ciências contábeis. A Ouvidoria da UFG já foi acionada e deve apurar o caso.

O rapaz conta que tomou conhecimento nesta quarta-feira (22) do anúncio após começar a receber mensagens de outros alunos querendo saber sobre o “Torneio da Punheta”. O número pessoal do WhatsApp dele foi colocado como contato para inscrições.

Nome e foto do estudante de engenharia elétrica aparecem no anúncio. (Foto: Reprodução)

Conforme o cartaz afixado pela UFG, o evento estaria marcado para ocorrer nos dias 24 e 25 de junho, das 08h às 11h, no espaço do Diretório Central dos Estudantes (DCE), no câmpus Samambaia, em Goiânia.

O texto diz ser proibido órgãos acima de 14 centímetros e que ejaculações precoces resultaria em eliminação. Além disso, detalha que categorias P e GG poderiam participar, assim como competidores individuais, duplas masculinas, semi-masculinas e mistas.

A irmã do estudante, ouvida pela reportagem, contou que ele ficou muito abalado por ser “calouro” e temeu ser expulso da instituição. A família agora estuda registrar um boletim de ocorrência e buscar reparação judicial pela brincadeira sem graça.

Com a palavra, a UFG

Acerca de cartaz publicado e amplamente difundido nas redes sociais na tarde de hoje, 22 de junho de 2022, sobre um suposto campeonato de masturbação entre estudantes, a Universidade Federal de Goiás reitera que repudia toda forma de trote, bullying ou constrangimentos à comunidade universitária, bem como mensagens e ações com teor homofóbico e transfóbico. A UFG destaca que mantém constantes iniciativas de recepção e acolhimento aos estudantes ingressantes, e realiza campanhas que visam promover a diversidade e a boa convivência em seus câmpus.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade