Motivado por ciúmes, homem mata cachorro de estimação da namorada em Goiânia

Sem saber que o pet estava morto, tutora chegou a espalhar pôster de "procura-se" com a intenção de conseguir encontrar o animalzinho

Isabella Valverde -
Imagem de homem já com a mochila vazia. (Foto: Divulgação/PCGO)

Um homem, com identidade não revelada, foi preso preventivamente pela Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio do Grupo de Proteção Animal – GPA/DEMA, suspeito de ter matado o cachorrinho de estimação da namorada.

Segundo a corporação, o investigado namorava a tutora do animal há três meses e sentia ciúmes da forma com que ela tratava o bichinho, chegando até mesmo a agredir o pet por uma vez ao alegar de que teria sido mordido.

Na data do assassinato do cãozinho, a namorada tinha deixado o animal trancado no quarto  por cerca de três horas, para não morder o homem.

Assim que retornou para casa, o companheiro levou ela para sair novamente e apenas um tempo depois, falou que teria saído para passear com o pet e que, em determinado momento, ele acabou fugindo.

A tutora então preparou um poster de “procura-se” com a foto de Theodoro e divulgou o desaparecimento com a intenção de conseguir encontrar o amigo de quatro patas, mas não sabia que ele havia sido morto.

Durante as investigações, as câmeras de segurança do condomínio em que ela mora foram analisadas pelos policiais e as imagens mostraram que em nenhum momento o suspeito saiu do apartamento da namorada com o cachorrinho na guia.

Porém, foi possível notar que ele estava carregando uma mochila que aparentava estar pesada. 15 minutos depois, ele foi visto entrando em um estabelecimento comercial, mas a bolsa já parecia estar leve e ele a carregava apenas em um ombro.

Diante da suspeita de maus tratos animais, o homem foi preso na última sexta-feira (08) e contou aos policiais onde havia jogado o corpinho já sem vida do pet de estimação. Ele então foi localizado pela PCGO jogado em um matagal localizado às margens da Marginal Botafogo, no Jardim Goiás.

O celular do suspeito foi apreendido e nele foram encontrados acessos em sites sobre zoofilia. Agora, uma perícia deve ser realizada no aparelho e no corpo do cachorro para apontar a causa da morte.

O investigado não se pronunciou e foi solto pelo poder Judiciário, podendo agora responder pelo crime cometido em liberdade.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade