Fenômeno raro chega ao céu após 50 mil anos e moradores de Goiás podem ter a chance de acompanhar; saiba como

Corpo celeste poderá ser visto com binóculos e telescópios, mas também a olho nu

Augusto Araújo Augusto Araújo -
Cometa verde poderá ser visto em Goiás após 50 mil anos. (Foto: Divulgação/NASA).

Um fenômeno raro poderá ser visto no céu goiano após 50 mil anos. Se trata do cometa C/2022 E3 (ZTF), que possui um característico brilho verde e não passa tão perto da Terra desde a época dos neandertais.

De acordo com o astrônomo Filipe Monteiro, do Observatório Nacional, o corpo celeste poderá ser visto mais claramente neste sábado (04), quando atingirá o ponto mais próximo da Terra em sua trajetória.

No entanto, o cientista faz questão de tranquilizar as pessoas, visto que “o cometa passará a cerca de cerca de 42 milhões de quilômetros da Terra. Ou seja, apesar da aproximação com o nosso planeta, o cometa C/2022 E3 (ZTF) não tem chance de colisão com a Terra”.

O corpo celeste poderá ser visto a olho nu apenas com condições celestes bastante favoráveis. Ou seja, o céu deverá estar escuro, sem Lua, e sem poluição luminosa.

Sendo assim, a orientação de Filipe Monteiro é para que os curiosos de plantão devem se afastar dos centros urbanos, além de usar equipamentos visuais (como binóculos, telescópios, câmeras fotográficas) para facilitar a visualização do cometa.

“Uma estratégia que pode ser usada também por iniciantes, bem como os fotógrafos casuais, é tentar fotografar o cometa apontando sua câmera para sua localização aproximada no céu e tirando fotos de longa exposição de 20 a 30 segundos”, complementa o especialista.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade