Jovem de Anápolis tem grande prejuízo ao cair em golpe já mostrado no Linha Direta, da Globo

Tática já chegou a movimentar mais de R$ 5 milhões em presídios do Rio Grande do Sul (RS)

Gabriella Pinheiro Gabriella Pinheiro -
Central de Flagrantes da Polícia Civil, no Centro de Anápolis. (Foto: Rafaella Soares)

De uma singela troca de fotos íntimas a ameaças e extorsões. Conhecido como “Golpe dos Nudes”, o esquema criminoso que movimentou mais de R$ 5 milhões em presídios no Rio Grande do Sul (RS) e chegou a ser tema do quarto episódio do programa Linha Direta, da TV Globo, não é exclusividade da região gaúcha e voltou a fazer mais uma vítima. Dessa vez, a situação aconteceu com um jovem, de 23 anos, em Anápolis, na quarta-feira (09).

Conforme apurado pelo Portal 6, tudo começou na noite de terça-feira (08), após o rapaz receber uma solicitação de um perfil no Instagram pedindo para segui-lo.

Logo após aceitar o pedido, ele e a pessoa iniciaram uma conversa na plataforma e, posteriormente, migraram para o aplicativo WhatsApp, onde trocaram fotos íntimas.

Mas o breve flerte logo deu lugar ao desespero. Depois da troca de fotos, por volta das 10h do dia seguinte, o rapaz recebeu uma ligação de uma pessoa se identificando como sendo um delegado do Rio Grande do Sul (RS).

Na ocasião, o suposto oficial acusou o jovem de ter cometido um crime, alegando que o envio de imagens ocorridas na noite anterior teria sido feito com um menor, de 15 anos.

Logo em seguida, o golpista ainda afirmou que teria feito um acordo com a família da suposta vítima e que, para o jovem não ser preso, seria necessário que ele pagasse o valor de R$ 15 mil ou metade dele, referente a internação compulsória da ‘vítima’.

Com medo da possível prisão, o jovem enviou toda a quantia contida na conta, no valor de R$ 740. No entanto, a transferência não foi o bastante para o suposto delegado, que insistiu mais uma vez para que o outro enviasse o restante do valor.

Desesperado, o jovem então usou a conta da tia dele e, com o consentimento dela, enviou um valor total de R$ 7. 258 para o suposto delegado. Logo em seguida, ele usou a conta bancária do pai para fazer uma transferência no valor de R$ 280. Todos os valores foram transferidos para o criminoso até às 17h37 e somaram R$ 8.278.

Após a ação, a vítima procurou uma delegacia onde denunciou o ocorrido. O caso deve ser investigado pela Polícia Civil (PC).

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade