Polícia Militar de Goiás emite nota de repúdio após escola de samba associar policiais a demônios

No documento, corporação definiu ação como sendo desrespeitosa e inadmissível"

Gabriella Pinheiro Gabriella Pinheiro -
Foto mostra desfile de Carnaval em que policiais são associados a demônios. (Foto: Reprodução/ X )

Após a Escola de Samba Vai-Vai protagonizar um momento polêmico ao utilizar fantasias associando policiais a demônios, durante um desfile de Carnaval, em São Paulo (SP), a Polícia Militar (PM) de Goiás emitiu uma nota de repúdio contra o caso na noite de terça-feira (13).

Em comunicado divulgado nas redes sociais, a corporação categorizou a alusão, que ocorreu no sábado (10), como sendo “desrespeitosa e inadmissível”.

Ainda no documento, o órgão afirmou que os responsáveis pelo desfile “transpuseram as fronteiras do bom senso e da responsabilidade”, além de propagarem interpretações distorcidas e tendenciosas das atividades da profissão. 

“É especialmente repulsivo que esse lamentável incidente ocorra precisamente no momento em que inúmeros profissionais das Polícias Militares, homens e mulheres dedicados, estão comprometidos com a segurança e resguardo de milhões de cidadãos em todas as regiões do país, durante as festividades carnavalescas”, salienta. 

A PM ainda reitera que o papel da organização “transcende a mera contenção da criminalidade” e visa resguardar o direito de todos como também acatar a diversidade. 

“Por derradeiro, expressamos nossa inequívoca solidariedade aos policiais militares de todo o país que, com dedicação e destemor, desempenham suas nobres atribuições em prol da segurança e do bem-estar da população brasileira”, finaliza.

Vale destacar que a polêmica teve início após a escola, que trouxe como temática o  hip hop de São Paulo (SP) mostrar, na ala “Sobrevivendo no Inferno”, agentes com escudo escrito “choque” representados com chifres e asas vermelhas.

Leia a nota completa na íntegra:

É com veemente indignação que a Polícia Militar de Goiás externa a rejeição categórica à desrespeitosa e inadmissível alusão promovida pelo Grêmio Recreativo Cultural e Social Escola de Samba Vai-Vai, durante o seu desfile no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo-SP, na noite do último sábado, 10 de fevereiro.

Com a justificativa de dar voz à “sua expressão artística”, os responsáveis pelo desfile desta agremiação transpuseram as fronteiras do bom senso e da responsabilidade, propagando uma interpretação distorcida e tendenciosa das atividades de uma instituição fundamental para a salvaguarda dos direitos e garantias fundamentais, e para a completa concretização da cidadania.

É especialmente repulsivo que esse lamentável incidente ocorra precisamente no momento em que inúmeros profissionais das Polícias Militares, homens e mulheres dedicados, estão comprometidos com a segurança e resguardo de milhões de cidadãos em todas as regiões do país, durante as festividades carnavalescas.

Cumpre ressaltar que o papel da Polícia Militar transcende a mera contenção da criminalidade, abraçando a salvaguarda dos direitos de todos os cidadãos, o que inclui o acatamento à diversidade, à dignidade humana e às instituições, valores que, lamentavelmente, foram aviltados pelos responsáveis por esse infeliz espetáculo.

É crucial reconhecer o papel abrangente da Polícia Militar, não apenas na contenção da criminalidade, mas também na proteção dos valores que sustentam uma sociedade justa e inclusiva.

Por derradeiro, expressamos nossa inequívoca solidariedade aos policiais militares de todo o país que, com dedicação e destemor, desempenham suas nobres atribuições em prol da segurança e do bem-estar da população brasileira.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade
PublicidadePublicidade