Coronel dá depoimento bombástico sobre a morte de Fábio Escobar

Coronel relatou que recebeu os dois no gabinete e que os instruiu sobre o que deveria ser feito dentro da legalidade

Pedro Hara Pedro Hara -
Coronel Newton Nery Castilho, ex-secretário da Casa Militar de Goiás. (Foto: Reprodução)

Durante depoimento ao Ministério Público de Goiás (MPGO), o ex-secretário da Casa Militar de Goiás, coronel Newton Nery Castilho, diz que recebeu Jorge Caiado e Cacai Toledo em seu gabinete.

O vídeo do depoimento foi obtido pelo jornal O Popular e divulgado inicialmente pela jornalista Fabiana Pulcineli.

No registro, ele relatou que a tônica da conversa foi sobre “um inconveniente” que ambos estavam tendo com Fábio Escobar. Que o empresário estava tendo uma postura agressiva e ambos temiam pela integridade física.

O coronel disse que foi cobrado para que “resolvesse a questão” e a resolução seria “prendendo ou aniquilando Fábio Escobar”.

Em resposta, Castilho afirmou que “não era jagunço”, que na verdade “combatia o crime e não cometia”.

Segundo o militar, Jorge Caiado e Cacai não saíram satisfeitos do gabinete, mas foram instruídos pelo militar sobre o que deveria ser feito dentro da legalidade.

Castilho diz “não ter dúvidas” de que Jorge Caiado foi elo entre Cacai Toledo e os policiais militares que participaram do crime, pois o ex-presidente municipal do DEM, atual União Brasil, não ‘tinha penetração na corporação para tal coisa’.

“Jorge Caiado é que tem condições ou teria condições de fazer essa manobra logística e de recursos humanos. O César Toledo não tinha a mínima condição ou penetração no seio da corporação para tal coisa. Precisava sim da influência de alguém para planejar tal coisa. César Toledo diretamente com os executores eu entendo isso como uma possibilidade zero”, apostou.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade
PublicidadePublicidade