Portal 6

O antes e depois da agressão de Luciana Sinzimbra pelo ex-namorado em detalhes

(Foto: Reprodução)

Em viagem no Chile, jovem também se engaja no movimento “Mexeu com uma, mexeu com todas” enquanto processo contra o piloto Victor Junqueira corre em segredo de Justiça

Caso que ganhou repercussão nacional, o drama vivido por Luciana Sinzimbra, de 26 anos, agredida pelo ex-namorado Victor Junqueira, de 24 anos, terá ainda mais exposição na noite do último domingo de 2018 .

As imagens que mostram a advogada sendo espancada pelo piloto de avião e filho do ex-prefeito de Anápolis Eurípedes Junqueira ganham a tela da TV Globo durante o Fantástico. Mesmo em viagem, Luciana concedeu uma entrevista ao programa e a expectativa é que a jovem fale sobre a gravação e o pós-vazamento do vídeo.

Durante a última semana a reportagem do Portal 6 buscou juntar ‘as peças do quebra-cabeça’ cujo desenho ajuda a explicar parte dessa história que colocou Anápolis novamente em evidência no país, e por motivos nada agradáveis.

Para entender o que aconteceu é necessário voltar à noite do último dia 14, quando Luciana Sinzimbra participou de uma festa de confraternização do escritório em que trabalha na capital. Victor esteve no evento e saiu de lá já em desentendimento com a então namorada.

Ambos discutiram em frente ao prédio da advogada e a agressão que Luciana menciona no vídeo teria ocorrido naquele momento. Bêbado, Victor se chateou pelo fato dela não ter sugerido que ele ficasse ao invés de voltar para Anápolis.

Luciana teria subido, deixado a porta aberta e posicionado o celular para gravar qualquer anormalidade caso Victor aparecesse por ali. Como esperado, o fato ocorreu e culminou na cena que indignou milhões de pessoas Brasil a fora.

Vazamento

No dia seguinte, um sábado (15), Luciana registrou o boletim de ocorrência na Polícia Civil e o exame de corpo de delito feito indicou lesões na face e pelo corpo.

Às 06h15 da última quarta-feira (18) um pedido de medida protetiva de urgência começou a tramitar no 4º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher de Goiânia. Horas depois ele seria acatado pela juíza Liliana Bittencourt com determinações expressas para que Victor não se aproximasse mais de Luciana.

O vídeo e os demais registros foram mostrados em um grupo de WhatsApp com amigos da vítima e compartilhado por um dos integrantes em outro grupo. O conteúdo ganharia a internet na véspera de Natal para não mais ser esquecido.

Um dia antes Luciana esteve no restaurante do Denali Hotel almoçando com os pais. Com uma viagem marcada para o Chile, ela não imaginava o forte turbilhão midiático que a esperava.

Repercussão

Ao saber do vazamento, os pedidos por parte de Luciana para que o vídeo não fosse compartilhado tiveram ressonância apenas nos meios tradicionais da imprensa.

Victor se enclausurou no apartamento do pai, no Centro de Anápolis, temendo que qualquer aparecimento em público resultasse em linchamento.

Antes mesmo de receber a intimação para prestar depoimento, o jovem procurou a Polícia Civil e passou a colaborar com as investigações.

Considerado um dos principais criminalista do Centro-Oeste, o advogado Romero Ferraz Filho topou defender Victor e, conforme familiares do rapaz, tem como estratégia principal o arrefecimento do caso na opinião pública.

Um balde de álcool, no entanto, foi jogado na história após artistas e famosos se indignarem com a ausência do pedido de prisão na quinta-feira (27).

Titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), Ana Elisa Gomes alegou ‘falta de elementos’ para tal e o movimento “Mexeu com uma, mexeu com todas” ganhou ainda mais força na internet.

Volta por cima

Inicialmente encarada com receio por Luciana, a exposição do caso tem a ajudado, segundo ela própria, a lidar melhor com a situação e também se engajar na luta contra violência sofrida cotidianamente por milhares de mulheres.

A jovem abriu seu Instagram para o modo público, interage com os novos seguidores – muitos deles famosos e influencers – e reposta postagens que cobram maior rigor para o caso, cujo processo corre em segredo de Justiça.

Quer comentar?

Comentários

Nosso Twitter

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.