Portal 6

As fotos que mostram destruição no Case após rebelião em Anápolis

(Foto: Reprodução)

Mudança de comportamento nos menores teria ocorrido quando começaram a aprender artes marciais. Servidores da unidade já foram feridos

Um principio de rebelião foi iniciado pelos internos do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Anápolis na tarde do último sábado (02), durante o banho de sol.

Conforme um servidor da unidade que prefere não se identificar, os menores infratores não só vandalizaram todo o espaço, quebrando janelas, cadeiras e bebedouros, como também renderam três agentes socioeducativos.

“Os internos de uma ala queriam tentar contra a vida de um adolescente de outra ala. Esse adolescente, inclusive, já rendeu uma servidora. O Case está sendo administrado por uma O.S que prioriza execução de atividades, como karatê, judô e futebol. Eles tentam fazer um trabalho pedagógico, mas não priorizam segurança e nem pedem opinião de quem está na linha de frente de execução. Não sabemos mais o que fazer “, detalhou ao Portal 6.

 

(Foto: Reprodução)

A confusão foi contida com apoio da Polícia Militar. Segundo o comandante do 4º BPM, major Bruno Alves, o fato de os internos estarem aprendendo diferentes tipos de luta está gerando preocupação nos funcionários.

“Os menores estão aprendendo a reagir. Um dos funcionários de lá levou um golpe de artes marciais. Depois do princípio da rebelião, dois pediram demissão porque já não aguentam mais”, disse.

(Foto: Reprodução)

Pelas rede sociais, o Sindicato dos Servidores do Sistema Socioeducativo do Estado de Goiás (Sindssego) publicou uma nota lamentando o ocorrido e pedindo mais respeito aos profissionais que atuam na área.

View this post on Instagram

Rebelião no Case Anápolis – Já não bastava o descaso por parte do Estado de Goiás para com o Sistema Socioeducativo, o Governo passado ainda passou a Coordenação de uma de nossas unidades para uma OSs, no caso a Idtech, resultado disso? Servidores oprimidos, NENHUM procedimento de segurança adotado, pois para essas Organizações sociais, lidamos com crianças, vivem da demagogia e claro de quase 8 mil reais pagos para cada adolescente ali internado. O que aconteceu hoje é só um presságio de algo pior que está por vir. NÃO se brinca com vidas humanas assim, nossos servidores NÃO pagarão com a vida, exigimos URGENTEMENTE que adotem medidas de segurança, que contratem servidores, já que ganham muito bem para isso. Deixem de demagogia e ganância, o Sistema Socioeducativo NÃO é uma creche ou um hospital dos que vcs dizem gerir tão bem. Respeitem nossos servidores, Respeitem seus poucos trabalhadores que lá estão. @sedsgoias @marcoscabral_oficial exigimos providencias URGENTE!!!! #sistemasocioeducativo #foraOSs #concursoPublicoJá Diretoria

A post shared by SINDSSE-GO (@sindssego) on

A reportagem do Portal 6 entrou em contato com a Secretaria Cidadã do Governo Estadual, que rege o Case de Anápolis, que informou por meio de nota que o adolescente que estava sendo ameado pelo grupo de menores infratores foi transferido e ninguém ficou ferido na ação.

Veja a nota na íntegra

Conforme solicitação da reportagem, a Secretaria de Desenvolvimento Social esclarece que não houve princípio de rebelião no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Anápolis, mas sim uma tentativa de motim entre adolescentes de facções rivais rapidamente contornada pela Polícia Militar do Estado de Goiás. Um dos envolvidos no episódio foi transferido para outra unidade socioeducativa. Nenhum servidor ou adolescente ficou ferido.

Quer comentar?

Comentários




Nosso Twitter



Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.