PublicidadePublicidade

A consequência para mulher de Anápolis que queria colocar linguiça onde não deveria

Agora, por tempo indeterminado, ela está proibida de entrar no local

Da Redação -

Lorraine de Oliveira dos Santos, de 27 anos,  foi levada na manhã desta quinta-feira (08) para o Centro de Inserção Social Monsenhor Luiz Ilc, a cadeia pública de Anápolis, e por lá pode permanecer por muito tempo.

No início da tarde de quarta-feira (07), ela chegou ao Presídio Estadual de Anápolis com uma marmita de comida para entregar ao esposo.

Como de praxe, os servidores do local abriram o recipiente para averiguar o alimento e encontraram uma longa linguiça.

PublicidadePublicidade

Segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), esse é um tipo de comida que não pode entrar na unidade.

Tamanha surpresa tiveram os agentes ao averiguar que aquela tripa não estava recheada apenas com carne e toucinho de porco, mas também com vários saquinhos de maconha. Não restou outra alternativa a jovem senão confessar o crime.

Antes de ser levada para Central de Flagrantes da Polícia Civil, Lorraine passou por exames clínicos.

O delegado planonista Cleiton Lobo a autuou pelo artigo 33 do Código Penal (tráfico de drogas). Se condenada, ela pode pegar de cinco a 15 anos de reclusão.

A direção da unidade abriu procedimento administrativo para apurar o fato e adianta que, “por tempo indeterminado, a mulher está proibida de adentrar ao local”.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade