PublicidadePublicidade

Morte de funcionário em churrasquinho de Anápolis foi premeditada, afirma GIH

Delegado Vander Coelho contou detalhes da prisão e confissão do autor do crime, que era colega da vítima

Da Redação -
(Foto: Reprodução)

Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (30), o delegado Vander Coelho, titular do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), contou como foi a prisão de Patrick Paes Gonçalves, de 24 anos.

Ele foi detido na noite de sábado (28) em Sobradinho, região administrativa do Distrito Federal (DF), e confessou com riqueza de detalhes ter assassinado o colega de trabalho Washington Oliveira da Silva, de 30 anos.

De acordo com Vander Coelho, Patrick relatou que havia sido contratado há apenas uma semana e teria tido alguns desentendimentos com a vítima, que estaria se comportando com autoritarismo.

“Ele era um funcionário recém-contratado e estava trabalhando lá há cerca de uma semana. Neste período, [autor e vítima] já tiveram certas discussões em razão da forma autoritária e centralizadora do Washington. De acordo com ele [Patrick], em razão dessa postura da vítima, que agia como sendo proprietário do estabelecimento, apesar de também ser funcionário, eles tiveram discussões”, disse.

“Em razão dessas discussões, Washington teria dito ao Patrick que se perdesse o emprego, o autor iria se ver com ele. Ele interpretou isso como sendo uma ameaça e deliberou para matar a vítima. Segundo o autor, passou a noite planejando a prática do crime e foi trabalhar no dia seguinte já armado com essa espingarda de fabricação artesanal, feita por ele mesmo, e também com o martelo”, acrescentou.

Ainda conforme o delegado, Patrick viu o momento que o colega de trabalho chegou no estabelecimento e o surpreendeu por trás com marteladas na cabeça. Em seguida, o alvejou com três tiros e fugiu.

https://soundcloud.com/user-598447660/delegado-fala-sobre-prisao-de-patrick-paes

Em tempo

Para localizar Patrick, que só foi detido cerca de 24 horas depois do crime, o Grupo de Investigações de Homicídios (GIH) de Anápolis contou com suporte da Gerência de Operações de Inteligência (GOI) da Polícia Civil (PC), em Goiânia, e apoio da 17ª Delegacia Regional de Polícia de Águas Lindas de Goiás e Polícia Civil do Distrito Federal (PC-DF).

Às autoridades, ele disse que havia dispensado a arma utilizado no crime às margens da BR-153, na saída para Brasília. O instrumento foi localizado pelo GIH no local informado.

(Foto: Divulgação/GIH)

Patrick foi autuado em flagrantes pela prática de homicídio duplamente qualificado. A pena para o crime, em caso de condenação, pode ultrapassar 20 anos.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade