PublicidadePublicidade

Vereadores de Anápolis temem discurso de “não à reeleição” e se manterão em silêncio

Trabalhos na Câmara Municipal voltaram nesta segunda-feira (15) e decisão judicial que derrubou portaria das gratificações foi ignorada

Carlos Henrique Carlos Henrique -

No retorno das sessões ordinárias da Câmara de Anápolis, nesta segunda-feira (15), teve de tudo menos vereador falando sobre a farra das gratificações.

Para conter o escândalo, que já chegou à Justiça e colocou o TCM novamente na cola do Legislativo anapolino, a estratégia alinhada entre eles é não tocar no assunto publicamente.

No entanto, nos bastidores, alguns parlamentares assumiram como “missão” tentar saber quem é o colega que está “vazando informações”.

PublicidadePublicidade

Há vereadores, sobretudo os que têm mais de um mandato nas costas, temendo que o discurso de “não à reeleição” estimulado nas redes sociais viralize e os enterrem politicamente.

Em nota, a assessoria de Comunicação da Câmara disse que a Casa ficou sabendo da liminar que derrubou a polêmica Portaria 418 (que fixou o valor máximo para gratificações aos secretários parlamentares dos gabinetes em R$ 25.500) pela imprensa e que só se manifestará oficialmente após ser notificada pela Justiça.

O último podcast do Portal 6 repercutiu a ação popular que resultou na liminar do juiz Carlos Eduardo Rodrigues Sousa. Ouça a seguir:

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade