PublicidadePublicidade

Fome pode ter sido o motivo de bebê ter passado mal e ser transferido de hospital em Anápolis

Mãe do garotinho estava alterada e não tinha nem como comprovar a "existência" do filho

Da Redação -
UPA Pediátrica de Anápolis. (Foto: Danilo Boaventura/Portal 6)

Policiais militares tiveram de ser acionados na noite do último sábado (04) para averiguar uma situação dramática na UPA Pediátrica, no bairro Maracanã, região Central de Anápolis.

É que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) precisou levar até lá um garotinho de oito meses, que deu entrada na UPA da Vila Esperança desmaiado, e pediu reforços porque a mãe dele, de 33 anos, teria ficado alterada ao saber da necessidade de transferência.

A equipe de socorro chegou primeiro e de imediato o bebê foi atendido pelo médicos. A principal suspeita é que o desmaio tenha sido provocado por fome.

PublicidadePublicidade

Quando a mãe apareceu, momentos depois, contou na recepção que o filho não tinha certidão de nascimento e nem outro documento de identificação.

Como o garotinho legalmente “não existe”, a profissional teve de cadastrá-lo com os dados da mãe, o que teria feito a mulher agir com bastante grosseria.

O caso foi registrado pela Polícia Militar e deverá ser repassado para o 1° Distrito Policial de Anápolis. O Conselho Tutelar também foi acionado para acompanhar o bebê, que ficará sob a responsabilidade da avó.

Em resposta ao Portal 6, enviada no início da tarde desta segunda-feira (06), a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) informou que o bebê já recebeu alta e permanece sob os cuidados do Conselho Tutelar.

Nota da Redação: Atualizado às 14h50 com mais informações.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.