PublicidadePublicidade

‘Se fizermos isso de uma hora para outra pode haver grande revolta’, pondera Roberto sobre horário limite para bares

Denilson Boaventura Denilson Boaventura -
PublicidadePublicidade

O prefeito Roberto Naves (PP) avalia que é necessário levar em consideração as consequências sociais e econômicas que eventuais restrições, como a lei seca para bares, vão causar na população durante o enfrentamento da segunda onda da Covid-19.

“Naturalmente alguma coisa precisa ser feita. Sabemos que há sim a necessidade de fazer algo, mas é necessário calcularmos todas as variantes, não só simplesmente suspender o funcionamento sem que haja, por exemplo, um mínimo de planejamento. Se fizermos de uma hora para outra, pode haver uma grande revolta”, ponderou.

Na fala durante a videoconferência com governador Ronaldo Caiado (DEM) nesta segunda-feira (25), Roberto reconheceu a gravidade do momento e defendeu medidas alternativas pois, na visão dele, a situação com as restrições tende a ser pior, pois desta vez não há nem a confirmação do auxílio emergencial.

PublicidadePublicidade

“Muitos empresários também estão não só passando por dificuldades, como também quebrando. Por isso temos que pensar nesse conjunto como um todo. As dificuldades que nós vamos enfrentar nesta segunda onda não só epidemiologicamente falando, mas em termos sociais e econômicos serão muito maiores do que já vimos”.

O prefeito também confirmou que sai na próxima quinta-feira (28) o decreto municipal com os protocolos da matriz de risco que será reinstituída. A previsão é que inicialmente o grau seja leve e considere a sugestão do Governo Estadual em proibir consumo de bebidas alcóolicas em bares a partir das 22h.

[jnews_block_3 first_title=”Navegue pelo assunto” include_post=”141560,141545″]

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade