PublicidadePublicidade

GIH revela porque homem teria ajudado gêmeos a matar jovem em praça de Anápolis

Ele estava deitado quando os agentes chegaram e deram a voz de prisão

Da Redação Da Redação -
(Foto: Divulgação / GIH)

Deitado na cama e fumando um cigarro de maconha. Foi assim que agentes do Grupo de Investigação Homicídios (GIH) encontraram um homem, identificado apenas como W.D.S.T, suspeito de participar de uma morte em Anápolis.

De acordo com o órgão, ele é apontado como o terceiro autor do ataque a tiros que resultou no óbito de Adriano Azevedo de Souza, de 26 anos, no último dia 19 de julho.

O caso aconteceu em uma praça do Recanto do Sol, na região Nordeste de Anápolis. A vítima estava passeando pelo local quando irmãos gêmeos apareçam e efetuaram os disparos.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) chegou a ser acionado para prestar os primeiros socorros, mas a equipe só pôde constatar a morte. O corpo foi recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML).

Durante a investigação, o GIH descobriu que W.D.S.T teria sido o responsável por monitorar os passos de Adriano e repassar a localização dele para que os gêmeos pudessem executá-lo.

A motivação dos envolvidos seria porque a vítima, em outras ocasiões, ameaçou pessoas da região e estava sempre armado com uma faca.

Os gêmeos foram detidos no dia do crime e permanecem à disposição da Justiça. Agora, o comparsa também deverá ficar preso enquanto o caso segue sendo apurado pela Polícia Civil.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade