“Minha sensação foi de morte”, diz professora que teve 40% do corpo queimado após explosão de aerossol

Marlene Moreira teve que rodar 400 quilômetros para ser atendida em Hospital de Queimaduras, em Anápolis

Karina Ribeiro -
Imagem professora sendo assistida no Hospital de Queimaduras de Anápolis. (Foto: Arquivo Pessoal)

O que era para ser um fim de semana de descanso se tornou uma tragédia para professora inativa da rede estadual de Educação, Marlene Moreira, de 59 anos.

Ela estava numa propriedade da família em Trombas – localizada a 385 quilômetros de Anápolis – quando foi surpreendida por uma explosão de um desodorante aerossol.

O acidente ocorreu por volta das 17h de domingo (24), quando o marido ateou fogo num lixo e não percebeu que o frasco estava lá dentro.

PublicidadePublicidade

Ao Portal 6, Marlene contou que ‘a sensação foi de morte’.

Ela explica que teve de ficar embaixo do chuveiro por cerca de 15 minutos antes de entrar no carro para rodar quase 400 km até Anápolis.

“Tomei analgésico e fiz compressa antes de vir, senão não ia aguentar a dor”, relata.

Ela está internada no Hospital de Queimaduras de Anápolis e diz passar bem. “Agora é ficar internada e fazer raspagens todos os dias”, completou.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.