O novo filme nacional da Netflix que é sensível, tem Rodrigo Santoro no elenco e está sendo aclamado pela crítica

Surpreendentemente e sucinto, “7 Prisioneiros” se mostra um filme de sobrevivência

Anna Júlia Steckelberg -
novo filme nacional da Netflix
Com roteiro e direção de Alexandre Moratto e Thayná Mantesso, o filme é surpreendentemente sucinto, em poucas falas. (Foto: Reprodução)

“7 Prisioneiros”, o novo filme nacional da Netflix, chegou neste mês de outubro. Basicamente, estrelado por Christian Malheiros e Rodrigo Santoro, a produção traz a jornada de Mateus (Malheiros), um jovem do interior de São Paulo que é levado à capital com a promessa de um lugar digno para trabalhar. Além disso, ganhar algum dinheiro para ajudar a família e aproveitar as possibilidades de crescimento de uma grande cidade.

Porém, chegando lá, ao lado de outros três jovens (todos com nomes bíblicos), Mateus logo percebe que as coisas não seriam bem como o prometido. Assim, em um esquema análogo à escravidão, os jovens trabalhavam o dia inteiro em um ferro-velho sem receber nada por isso. Em que, tudo era descontado do investimento que Luca (Santoro) havia feito para tirá-los do interior, dar um teto e um prato de comida. Logo, “7 Prisioneiros” logo se mostra um filme de sobrevivência.

O novo filme nacional da Netflix

Com roteiro e direção de Alexandre Moratto e Thayná Mantesso, o filme é surpreendentemente sucinto, em poucas falas. Assim, os 93 minutos de filme não são apenas para desenvolver Mateus, mas também sua relação com Luca. 

PublicidadePublicidade

Em resumo, inicialmente há um clima de camaradagem e cumplicidade entre os prisioneiros e Mateus assume uma espécie de liderança informal do grupo. Isso porque é o mais estudado, quem se expressa melhor e também o mais ambicioso, como se pode perceber pela paixão dele por aviões — algo completamente distante da realidade em que vive.

Com isso, aos poucos, o jovem enxerga uma possibilidade de se livrar daquela situação e passa a trabalhar mais próximo ao chefe. Para completar, o roteiro também mostra a realidade do tráfico humano. Para se ter uma ideia, ao criar seu filme, Moratto realizou extensa pesquisa com jornalistas e até esteve com pessoas que haviam sido traficadas.

7 Prisioneiros

“7 Prisioneiros” é um filme sobre a necessidade de se cruzar linhas sociais. No geral, quando sai do interior, Mateus busca sair da linha da pobreza. Logo, ao entender o que está passando em São Paulo, o jovem encontra novas linhas e novos dilemas. Consequentemente, Mateus percebe o que tem que fazer, coloca suas decisões na balança em escolhas que não são livres de dor.

Ademais, Mateus enxerga em Luca uma possibilidade, um sobrevivente, que assim como ele, que fez o que era necessário para hoje estar naquela posição, ele cruzou uma linha e conquistou poder e dinheiro, pode ajudar a família. Pagou o preço pelo caminho que seguiu, mas não parece se arrepender.

Podemos, então, concluir que o novo filme nacional da Netflix é poderoso. Encontramos um texto forte, apresentado com cadência e ritmo perfeitos. Além disso, as duas atuações impecáveis de Christian Malheiros e Rodrigo Santoro nos fazem simpatizar com seus personagens e até entender cada escolha tomada por eles. Ao fim, meio sem entender o que acabamos de assistir, nos questionamos se tomaríamos decisões diferentes. 

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.