Cidade turística goiana proíbe eventos e determina toque de recolher por 15 dias

Decreto endurece medidas de segurança contra Covid-19 e quem descumprir regras pode pagar multa de R$ 4,4 mil

Augusto Araújo -
Centro Histórico é um dos principais pontos turísticos da Cidade de Goiás. (Foto: Governo de Goiás)

A Prefeitura da Cidade de Goiás endureceu as medidas de segurança contra Covid-19 no município. Até o dia 26 de janeiro, estarão proibidos eventos públicos e privados na antiga capital de Goiás.

Atividades de quaisquer natureza que proporcionem aglomerações e sejam propícias à disseminação da covid-19, estarão “terminantemente proibidas” na cidade.

Além disso, o decreto assinado na terça-feira (11), pelo prefeito Anderson Gouveia (PT), determina que se tenha um toque de recolher entre 1h e 6h durante esse período, proibindo a circulação de pessoas nas ruas.

PublicidadePublicidade

As exceções à regra são líderes religiosos, profissionais de imprensa, serviço dos Correios, além de pessoas em busca de atendimento médico ou prestando serviço de urgência e emergência.

Quem não estiver usando máscara de proteção facial não poderá adentrar qualquer instalação na cidade, seja ela de atividade econômica ou não.

O documento também determina a proibição de visitas a pacientes internados com a doença, com exceção de crianças que necessitam de acompanhamento hospitalar. Ainda assim, a companhia deve ser autorizada por um médico responsável.

Bares, restaurantes, botequins e similares deverão fechar as portas entre 1h e 6h. Apenas comércios em postos de combustíveis poderão funcionar 24h, com algumas restrições.

A venda de bebidas alcóolicas não será permitida entre estes horários e os estabelecimentos só podem abrir em modalidade drive-thru (compras sem sair do carro) ou take-away (sem consumo no local).

Os locais deverão fornecer álcool em gel 70% em diversos pontos para o uso dos frequentadores (como balcão, recepção, corredor de acesso e saída do local).

O uso de sons mecânicos em locais públicos também está proibido até o dia 26 de janeiro. A restrição também engloba a realização de apresentações musicais nos estabelecimentos comerciais do município.

Multa

Conforme o decreto determina, os estabelecimentos que descumprirem as regras podem ter que pagar multa de R$3,3 mil e podem ser interditados.

Será aplicada uma multa de R$ 110 para quem não usar máscara nas ruas ou for flagrado consumindo bebidas alcóolicas durante o toque de recolher.

Quem for pego nas ruas entre 1h e 6h sem autorização terá de pagar uma penalização de R$ 2,2 mil. Por fim, quem estiver usando som mecânico, caixa de som ou similares em vias públicas, pode ser multado em R$ 4,4 mil.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.