Mãe sabia que a filha era estuprada pelo padrasto e não tomava providências, conclui PC

Investigação aponta que a vítima passou mais de 10 anos sofrendo os abusos. Casal foi preso

Gabriella Pinheiro Gabriella Pinheiro -
PC cumpre operação contra padrasto e mãe. (Foto: Divulgação/ PC)

A Polícia Civil de Goiás (PCGO) cumpriu, na manhã desta quinta-feira (04), mandados contra um padrasto suspeito de estuprar a própria enteada, que é criança. Os crimes teriam ocorrido em Aparecida de Goiânia.

De acordo com a PC, foram desferidas duas ordens de prisão preventiva, tanto para o homem quanto para a mãe da vítima, em Mesquita, no Rio de Janeiro (RJ) – local  onde ambos fugiram em razão da investigação policial. 

Conforme a Operação Proteção Integral, por cerca de 10 anos, o padrasto praticou atos libidinosos e conjunção carnal contra a própria enteada.

Por diversas vezes, a vítima pediu ajuda para a mãe, que prometia resolver a situação, mas nunca chegou a tomar nenhuma providência para impedir os abusos. 

Devido às repetidas ações, a criança chegou a praticar jejum para “se libertar do sofrimento muito grande” – se referindo ao crime – e tentou tirar a própria vida. 

A operação foi realizada pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Aparecida de Goiânia – 2ª DRP e contou com o apoio da PC do Rio de Janeiro.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.