Portal 6

Homem morto pelo filho em Anápolis prometia matar toda a família e se suicidar depois

(Foto: Reprodução/ Facebook)

GIH apresentou detalhes da tragédia familiar, obtidos a partir de depoimentos colhidos com o jovem autor e familiares

O Sol ainda nem tinha aparecido quando Reginaldo Rodrigues de Oliveira Neto, de 20 anos, ouviu gritos vindo do quarto ao lado. Era a mãe, mais uma vez, sendo agredida por Wanderly Rodrigues de Oliveira, de 41 anos, seu pai.

Ao entrar no cômodo, o jovem percebeu que ela estava sendo estrangulada e seu instinto, dessa vez, falou mais alto. Pulou em cima do pai, aplicou-lhe um golpe de mata-leão, e permaneceu o imobilizando até que a mãe conseguisse fugir.

Em poucos minutos, Wanderly já estava desacordado e o filho, desesperado, tentou reanimá-lo, sem sucesso. Ligou para o Serviço Ambulatorial Móvel de Urgência (SAMU), porém, quem atendia o telefone eram os socorristas de outra cidade. A família mora no Parque dos Pirineus, no extremo da região Norte de Anápolis.

Era sexta-feira (03) e mais minutos se passaram. O dia já havia clareado e, fatalmente, Wanderly estava morto. Avisados do que tinha acontecido, familiares foram para a residência e acionaram a Polícia Militar. Reginaldo preferiu sair do local e se apresentou ao Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) na última segunda-feira (06).

Para defender mãe de agressão, filho estrangula e mata pai em Anápolis

Um advogado, porém, já havia, no dia da tragédia familiar, avisado à Polícia Civil que o rapaz logo prestaria depoimento para contar o que aconteceu.

Em conversa com a reportagem do Portal 6, o delegado Vander Coelho, titular do GIH, adiantou detalhes a partir de vários depoimentos já colhidos junto à família.

Wanderly bebia muito e, há quatro anos, agredia esposa e filhos com frequência. Caso qualquer um deles denunciassem o que ocorria em casa, ele prometia matar todos e tirar a própria vida.

Quer comentar?

Comentários