PublicidadePublicidade

O motivo que teria levado cozinheiro a matar professora em Anápolis

Aila conheceu Rafael pela internet, viajou do Ceará para Goiás para ficar com ele e quis fugir ao perceber que o relacionamento não daria certo

Da Redação Da Redação -
PublicidadePublicidade

O Grupo de Investigação de Homicídio (GIH) de Anápolis apresentou na manhã desta sexta-feira (16) o cozinheiro Rafael da Silva de Andrade, de 35 anos, apontado como assassino da professora cearense Aila Pinto Cardoso, de 34 anos.

O crime ocorreu há exato um mês, na casa de Rafael, na Vila Jaiara, bairro da região Norte da cidade, quando a vítima foi morta à facadas.

Durante a coletiva de imprensa, delegado Vander Coelho detalhou que o cozinheiro se escondeu em Águas Lindas de Goiás após cometer o crime.

PublicidadePublicidade

Durante o interrogatório, Rafael confessou o assassinato e alegou ter matado Aila porque ela discutiu com ele.

Internet

A vítima e o autor do crime haviam se conhecido pelo Facebook e mantiveram um “relacionamento virtual” por quatro meses até que Aila decidir deixar a família em Sobral, no Ceará, para viver com Rafael em Anápolis.

Dez dias após chegar em Goiás, ela se arrependeu da viagem e chegou a comprar passagem para retonar ao estado natal, mas foi tarde demais.

Na mesma rede social que uniu os dois, Rafael publicou mensagens falando sobre o crime e chamando a vítima de  “finada”. “Você sabe quem matou? Eu mesmo, numa discussão”, respondeu em um comentário.

Aila, conforme repercutiu o jornal Diário do Nordeste, era um professora muito bem quista na cidade e tinha o sonho de ser mãe.

https://portal6.com.br/2019/07/18/professora-brutalmente-assassinada-em-anapolis-tinha-o-sonho-de-ser-mae/

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade