PublicidadePublicidade

Novos detalhes do que Isabella Freire fez com bebê até abandoná-lo em lote baldio

Além de deixar o filho recém-nascido sem amamentação, a estudante também colocou fogo em caixa antes de incendiar mato seco

Rafaella Soares Rafaella Soares -
Isabella Freire, de 24 anos. foi presa pelo GIH após bebê ser encontrado carbonizado. (Foto: Reprodução/ Facebook)

Ainda durante o depoimento à Polícia Civil, Isabella Freire, de 24 anos, contou como foram os dois dias que passou o filho recém-nascido, antes de jogá-lo em um lote baldio do Residencial das Cerejeiras, bairro periférico da região Leste de Anápolis.

Como já mostrado com exclusividade pelo Portal 6, a jovem entrou em trabalho de parto no último dia 06 de maio e foi dirigindo sozinha até a Santa Casa, onde deu a luz a um menino de dois quilos que nasceu 100% saudável, apesar das várias tentativas de aborto e de não ter feito pré-natal.

Mãe e filho receberam alta hospitalar no último sábado (08) e Isabella alega ter colocado o bebê no carro e dado várias voltas pela cidade sem saber o que fazer com ele.

PublicidadePublicidade

Ela então foi para casa e conta ter tentado amamentar o garotinho, mas não conseguiu e desistiu da ideia depois de perceber que o bebê havia adormecido.

Foi quando a jovem afirma ter decidido enrolar o recém-nascido em um cobertor e colocar no chão de um dos quartos da residência.

O menino teria permanecido no mesmo local durante os dois dias seguintes e em nenhum momento recebeu qualquer tipo de alimento por parte de Isabella.

Apenas na segunda-feira (10), durante a manhã, é que ela pegou a criança no colo, colocou dentro de uma caixa branca totalmente fechada e levou para o banco traseiro da Ecosport, que seria de propriedade da mãe.

Neste momento, Isabella sustentou à Polícia que ainda não sabia o que fazer, mas que estava desesperada porque ninguém podia saber da gravidez e mais uma vez deu voltas pela cidade.

Ao encontrar um lote murado no Residencial Cerejeiras, como mostram as câmeras de segurança, levou o bebê para os fundos do terreno. Ela alega não saber se ele ainda estava vivo ou morto porque não abriu a caixa para vê-lo pela última vez.

No instante de atear fogo, jogou o álcool diretamente na caixa em que o bebê estava e usou um isqueiro para iniciar as chamas. Isabella só foi embora quando viu que a caixa com o recém-nascido estava incendiada.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade