Criança que sofreu intoxicação após farmácia dispensar remédio errado responde bem ao tratamento

UPA Pediátrica diz que caso da receita inelegível é raro e que a prescrição segue o padrão de outras unidades

Pedro Hara -
UPA Pediátrica de Anápolis. (Foto: Danilo Boaventura/Portal 6)

Em nota enviada ao Portal 6, a Fundação Universitária Evangélica (FUNEV), que administra a UPA Pediátrica de Anápolis, informou que a criança que sofreu intoxicação responde bem ao tratamento.

A menina foi levada ao hospital com sintomas de febre e diarreia na última quarta-feira (13). Após a consulta, o médico da unidade de saúde prescreveu o medicamento “biozinco” para ser comprado na farmácia.

Por conta da inelegibilidade da letra, os atendentes de uma farmácia da cidade se confundiram e dispensaram na criança o remédio “neozine”, que age no Sistema Nervoso Central. Após ingerir o medicamento de forma errada, a menina passou mal e teve de retornar à UPA com quadro de intoxicação.

Receita que foi entregue ao médico para a família da criança (Foto: Edição/ Portal 6)

Caso “raro”

Segundo a FUNEV, mensalmente mais de 4 mil receitas médicas são aviadas na unidade de saúde e casos como esse são raros.

“A prescrição de receitas médicas na UPA Perfil Pediátrico segue o padrão de outras unidades de saúde do município”, esclareceu ao Portal 6.

Já a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) afirmou que acompanha de perto o quadro clínico da criança internada.

Criança precisou voltar à UPA Pediátrica após confusão com medicamento da receita. (Foto de uso exclusivo do Portal 6)

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.