Defesa Civil reconhece maior risco de inundações e deslizamentos em três regiões em Goiás

Corporação recomenda que a população evite pegar estradas, além de frequentar rios e cachoeiras

Augusto Araújo -
Rua do Lazer, em Pirenópolis, completamente alagada devido à chuvas intensas. (Foto: Anna Júlia Steckelberg/Portal 6).

O início de janeiro em 2022 está sendo de muita preocupação com as chuvas em Goiás. São 16 municípios que já decretaram calamidade e uma preocupação maior no momento com três regiões do estado: Oeste, Leste e Central.

Nesses recortes estão localizadas cidades que representam a diversidade econômica, turística e da cultura goiana; como Pirenópolis e Goiânia – na região Central; Cristalina, uma potência no agronegócio situado ao Leste; e à Oeste, cidades como Goiás e Iporá.

Em entrevista ao Portal 6, o capitão Ricardo Oliveira, da Defesa Civil, explicou que toda essa faixa de Goiás é a que mais está concentrando chuvas e, devido a isso, há sinal de alerta para possíveis inundações e desabamentos na região.

“Cidades históricas como Goiás e Pirenópolis, onde os rios passam dentro do município, sempre exigem atenção durante a época de chuvas”, pontuou.

A preocupação se justifica com os acontecimentos recentes. Na antiga capital goiana, por exemplo, um barranco se cedeu e destruiu muro de uma casa na Rua Cambaúba, que dá acesso ao parque municipal. Por segurança, a via pública foi interditada.

A cidade de Goiás também já recebeu, nos primeiros dez dias de janeiro, 75% da quantidade de chuva esperada para todo o mês de janeiro de 2022, segundo o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo).

Pirenópolis também está com um índice acima da média, tendo recebido 43% da água esperada para todo o mês, segundo o órgão de meteorologia.

Além disso, fotos registradas nesses dois municípios mostram ruas completamente alagadas, impossibilitando o tráfego de veículos e moradores.

Ricardo Oliveira destacou que a corporação faz o acompanhamento da situação de todos os municípios goianos nesse momento crítico.

“Quando temos o conhecimento de riscos, já tomamos medidas como retirar pessoas de áreas perigosas, se preciso isolar determinados lugares, tudo o que for necessário para reduzir quaisquer possibilidade de ameaças”.

Ele relembrou que a Defesa Civil já está realizando um trabalho humanitário nas regiões Norte e Nordeste para atender a população atingida nesses municípios em situação de emergência.

O capitão Ricardo também recomendou para que a população tome muito cuidado ao pegar a estrada, tendo em vista o grande número de desabamentos que ocorreram recentemente nas rodovias goianas.

“Verifique o estado das rodovias antes de viajar, busque informações, dirija com cautela e evite fazer passeios em áreas de risco, como cachoeiras, lagos e rios”, orientou.

 

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.