Mais da metade das residências de Goiás têm ao menos um cachorro e a violência contra os animais não para de subir

Médico veterinário lembra que as agressões também podem gerar traumas psicológicos nos bichinhos e que há inúmeras formas de denunciar

Augusto Sobrinho -
As denúncias de maus tratos podem ser feitas na Delegacia do Meio Ambiente pelo telefone 197 ou na Polícia Militar Ambiental, no número 190. (Foto: Divulgação)

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que 56,3% das residências goianas tenham ao menos um cachorro, o que torna Goiás a segunda maior região do país com animais em casa.

Entretanto, um cenário que deveria ser muito alegre e cheio de fofura está sendo substituído por situações de agressões, fome, uso de drogas e abandono, que são sinais de maus-tratos a animais.

Parecem cada vez mais recorrentes episódios como o que foi flagrado pela Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (DEMA) nesta quarta-feira (06) no Sítio Recreio dos Bandeirantes, em Goiânia.

A Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) precisou resgatar uma cadela com ferida aberta com larvas, seis filhotes desnutridos devido a falta de água e comida e um cavalo e um burro com fraturas nas pernas.

Os dois donos foram  presos suspeitos de maus-tratos contra animais e multados em R$ 13 mil, conforme previstos pela lei estadual nº 20629/2019, que foi sancionada pelo governador Ronaldo Caiado (União Brasil), em novembro de 2019.

O médico veterinário Hebert Justo destaca que ainda há muitos casos de maus-tratos além desses que são denunciados e que é fundamental também a conscientização da população.

“Já atendi muito casos, como facada e tiros de chumbinho, mas o que mais me marcou foi uma cadela vitima de estupro. Maus-tratos é um crime e não somente uma crueldade qualquer”, afirma o especialista.

Segundo ele, a violência física presente nos maus-tratos pode gerar também traumas psicológicos nos animais como mudança comportamental, agressividade, medo e perda de socialização com outros animais ou humanos.

Ele também aproveita para lembrar que há inúmeras formas de denunciar. Os casos ou suspeitas de maus-tratos podem reportados a Delegacia do Meio Ambiente pelo telefone 197 ou na Polícia Militar Ambiental, no número 190.

Casos com profissionais da área envolvidos devem também ser repassados ao Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV).

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade