Pela primeira vez na história, Goiás está próximo de ter um advogado integrando o Conselho Nacional de Justiça

Nome foi aprovado pela CCJ do Senado Federal, mas ainda será avaliado pelos demais políticos da Casa

Augusto Araújo -
Marcello Terto, procurador do Estado de Goiás, foi indicado para vaga no CNJ. (Foto: Divulgação/ Anape)

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal aprovou, na última semana, o nome de Marcello Terto para exercer uma das duas vagas destinadas à advocacia no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Natural de Teresina (PI), mas vinculado à Ordem dos Advogados do Brasil de Goiás (OAB-GO), o procurador do Estado de Goiás e ex-conselheiro federal recebeu 24 votos favoráveis dos 25 senadores presentes na sessão. Apenas um se absteve.

Para ser tornar oficialmente parte do CNJ, Terto deverá ser aprovado pela maioria do Plenário do Senado, em uma sessão de avaliação que deve ser realizada ainda nesta semana.

Por fim, caberá ao presidente Jair Bolsonaro (PL), nomear o procurador para assumir a vaga durante o biênio 2022-2023.

Esta, inclusive, é a primeira vez que um membro da OAB-GO é indicado ao CNJ desde a criação do órgão, em 2004.

Além de ser procurador do Estado e ex-conselheiro federal por Goiás, Marcello Terto também foi presidente da presidente da Associação Nacional dos Procuradores dos Estados e do Distrito Federal (Anape) e da Associação dos Procuradores do Estado de Goiás (Apeg).

Além disso, desde 2021 ele é membro titular do Instituto dos Advogados do Brasil.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade