Forçada a se prostituir em bar de fachada, mulher é resgatada em Goianápolis

Vítima veio do Pará com promessa de emprego e, além dela, uma adolescente de 16 anos também estava sendo explorada

Augusto Sobrinho -
Os agentes tomaram conhecimento sobre o estabelecimento a partir de uma denúncia anônima. (Foto: Divulgação/PC)

A proprietária de um bar, que obrigava uma funcionária e uma adolescente de 16 anos a se prostituir, foi presa pela Polícia Civil em Goianápolis, município da Região Metropolitana de Goiânia.

A vítima veio do Pará com promessa de emprego e há 3 meses estava trabalhando no estabelecimento, mas nos dois últimos era mantida em cárcere de privado, pois a dona não permitia que ela voltasse para a cidade de origem.

Os policiais relataram que quando chegaram no “bar” havia uma adolescente e outras duas mulheres, que também confirmaram que faziam programas no endereço.

Após serem resgatadas, a paraense recebeu ajuda da prefeitura do município para retornar à cidade natal e a menor foi encaminhada aos cuidados do Conselho Tutelar.

Segundo os agentes, eles tomaram conhecimento sobre o estabelecimento a partir de uma denúncia anônima de que no local teria menores de idade sendo exploradas sexualmente, cárcere privado e tráfico de drogas.

“Recebemos informações que no lugar tinha menor de idade se prostituíndo e depois das diligências investigativas, conseguimos um mandado de busca e apreensão e fomos até o local”, afirmou o delegado responsável pelo caso, Rodrigo Arana.

Além disso, o representante explicou que o estabelecimento era disfarçado de bar, entretanto, nos fundos ele funcionava como uma casa de prostituição.

A mulher, de 45 anos, foi presa em flagrante nesta quarta-feira (13) e poderá responder pelas práticas dos crimes de Cárcere Privado, Corrupção de menores e Favorecimento a Prostituição de menor de 18 anos.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.