Caiado cobra participação do Ministério de Minas e Energia no processo de venda da Enel

Governador e comitiva de parlamentares goianos estiveram na sede da pasta e pediram que haja diálogo com a empresa, que pode vender a concessão

Rafael Tomazeti -
Caiado visitou Ministério de Minas e Energia nesta terça-feira, 10. (Foto: André Saddi/Governo de Goiás)

O Ministério de Minas e Energia (MME) deve abrir diálogo com a Enel para tratar da venda da concessão da distribuição de energia elétrica em Goiás. A informação foi divulgada pelo governador Ronaldo Caiado, após reunião na sede da pasta, em Brasília, na noite desta terça-feira (10).

Caiado levou o pleito ao governo federal depois que passou a circular no mercado financeiro a possibilidade de a gigante italiana repassar a concessão.

O governador, acompanhado de deputados federais por Goiás, fez críticas à distribuidora. “Como uma empresa como a Enel pode alegar que não tem conhecimento da legislação brasileira? Eles estão agindo na clandestinidade”, disse.

De acordo com Caiado, a concessionária não tem sido transparente nem mesmo junto aos órgãos de controle, como a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O governador também voltou a reclamar da qualidade da prestação do serviço da Enel.

“Já é insustentável e a situação hoje caminha para a caducidade, ou seja, a Enel chegou ao total desleixo com as exigências para fazer com que o goiano tivesse uma correta distribuição de energia e está fadada, neste momento, a perder a concessão em Goiás”, frisou.

A secretária-executiva do MME, Marisete Fátima Pereira, se comprometeu a buscar informações junto à Aneel para avaliar a exploração do serviço e obter dados sobre uma possível venda da companhia. As partes também devem se encontrar numa outra reunião.

A Celg-D, antecessora da Enel, foi vendida à empresa italiana em 2016, por R$ 2,2 bilhões. Hoje, a empresa é avaliada em R$ 10 bilhões.

Caiado, que havia amenizado o discurso contra a distribuidora, voltou ao ataque desde que circulou a informação de que a concessão poderia ser vendida.

Fontes do mercado também disseram à Agência Reuters que empresas como a CPFL e EDP Brasil, que inclusive comprou a antiga Celg Transmissão, estariam interessadas na aquisição da distribuição de energia no estado.

O Portal 6 procurou a Enel Goiás, que preferiu não comentar a visita do governador ao Ministério de Minas e Energia.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade