Palestra em colégio de Campo Limpo faz estudantes descobrirem que foram abusados sexualmente

Pelo menos dez crianças e adolescentes realizaram denúncias. PM teve de ser acionada para controlar a situação porque pais queriam ir atrás dos suspeitos

Denilson Boaventura -
Somente em 2022, até o dia 13 de maio, foram contabilizados 53,8 mil registros de denúncias de violência contra crianças e adolescentes no Brasil. (Foto: Madalena Rodrigues/ABr)

O Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi na quarta-feira (18) e uma palestra a respeito da campanha Maio Laranja realizada nesta sexta (20) no Colégio Estadual Rui Barbosa, em Campo Limpo de Goiás, fez estudantes descobrirem que foram vítimas de violações.

Pelo menos dez crianças e adolescentes realizaram denúncias, que são acompanhadas pelo Conselho Tutelar. Quatro suspeitos já foram identificados pelos alunos da instituição, sendo que três destes homens mencionados por eles residem atualmente no município.

Campo Limpo de Goiás tem uma população de menos de oito mil habitantes e os pais dos estudantes do Colégio Estadual Rui Barbosa ficaram revoltados, querendo ir atrás dos apontados como abusadores. A Polícia Militar (PM) teve de ser acionada para controlar a situação e levar os envolvidos até a Delegacia-Geral de Anápolis, que vai remeter o caso para investigação.

Até o momento não há informações sobre a prisão de nenhum dos suspeitos. Eles devem ser ouvidos pela Polícia Civil (PC) nos próximos dias, assim como as crianças e adolescentes, pais e/ou responsáveis e servidores da unidade de ensino, onde houve a descoberta das violações.

A campanha Maio Laranja ocorre em todo o território nacional e busca conscientizar a população sobre a importância da prevenção do abuso e da exploração sexual de crianças e adolescentes. Estatísticas da Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos apontam que somente em 2022, até o dia 13 de maio, foram contabilizados 53,8 mil registros de denúncias de violência contra crianças e adolescentes.

Destas, segundo o serviço do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), o total de 7,1 mil são de violência sexual. Os números divulgados revelam ainda que a maioria das violações ocorrem na casa onde residem a vítima e o suspeito.

Denuncie

A central Disque 100 recebe denúncias de abuso e exploração contra crianças e adolescentes diariamente, 24h, inclusive nos finais de semana e feriados. As denúncias são anônimas e podem ser feitas por meio de discagem direta e gratuita para o número 100, pelo WhatsApp: (61) 99656-5008, ou pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil, onde o cidadão com deficiência encontra recursos de acessibilidade para denunciar.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade