Casos de dengue caem em Goiânia, mas capital segue sob alerta e decreto de emergência

Apesar da diminuição, existe transmissão assentada e aumento do número de óbitos suspeitos e confirmados

Emilly Viana -
Combate ao mosquito Aedes Aegypti em Aparecida de Goiânia. (Foto: Claudivino Antunes/Prefeitura de Aparecida de Goiânia.)

O número de casos de dengue em Goiânia está em queda nas últimas seis semanas, segundo boletim da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Os dados apontam que a  redução foi acentuada no início de maio, com uma regressão de 44% na média de notificações em relação a semana anterior. Nos sete dias seguintes, os exames positivos caíram pela metade.

O cenário, porém, ainda é preocupante. A SMS informa que a situação do município é de “alto risco”, quando a incidência está acima de 300 casos por 100 mil habitantes. As regiões Noroeste e Sudoeste concentram o maior número de infecções.

Com isso, a avaliação é que, apesar da diminuição, ainda há uma transmissão assentada e um aumento do número de óbitos suspeitos e confirmados por dengue.

A secretaria verificou ainda que, no primeiro trimestre de 2022, a taxa de positividade para a doença superou o percentual de 87%, o que corresponde a 6.856 amostras testadas, sendo 5.996 positivas.

Na última semana epidemiológica avaliada pela pasta, o percentual de exames positivos se manteve em mesmo patamar, com 86,8%.

Em abril, diante do aumento de mais de 1.500% nas notificações, a prefeitura decretou estado de emergência na saúde pública.

O decreto, ainda em vigência, permite ao município comprar materiais e insumos de forma mais rápida e contratar servidores temporários para ajudar no combate ao mosquito.

Neste ano, Goiânia contabilizou 15 mortes por dengue, sendo que 34 ainda são investigadas. Os dados mostram a gravidade da epidemia, conforme indica a SMS, já que durante todo o ano passado foram 5 mortes e duas em investigação.

Goiás em alerta

Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, Goiás lidera com folga a incidência de casos de dengue do país.

Até a primeira metade de maio deste ano, o estado apresentou média de 2001,2 infectados a cada 100 mil habitantes. Para se ter uma ideia, o Distrito Federal, que possui a segunda maior ocorrência, apresentou 1.462,2 notificações por 100 mil habitantes.

Goiás também possui o maior número de casos graves, com 2.972 registros, seguido de São Paulo (1.359) e Paraná (1.265).

Quanto aos óbitos, a situação do estado é menos alarmante. São 41 mortes por dengue neste ano, sendo que São Paulo e Santa Catarina lideram a lista com 134 e 43 óbitos, respectivamente.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade