OAB cobra apuração rápida após morte de detentos e vai vistoriar presídio

Três dos presos foram mortos nesta manhã, conforme informou o Portal 6 em primeira mão

Rafael Tomazeti -
Casa de Prisão Provisória de Aparecida de Goiânia (Foto: Reprodução)

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO) cobrou da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) uma “apuração rápida e rigorosa das circunstâncias” das mortes de três detentos da Casa de Prisão Provisória (CPP), em Aparecida de Goiânia, nesta terça-feira (26).

Como mostrou o Portal 6, em primeira mão, dois presidiários foram encontrados mortos dentro de duas celas da CPP, ainda durante a manhã.

Em nota, a OAB-GO classificou às mortes como “gravíssimas” e pediu punição exemplar aos responsáveis. Um ofício já foi enviado à DGAP pedindo informações sobre o caso.

Membros de comissões temáticas da Ordem farão “nas próximas horas uma vistoria nas dependências da CPP”. A entidade informou ainda que haverá um colegiado de advogados para “acompanhar as investigações, cobrar rapidez e contribuir na elucidação dos crimes”.

Com a palavra, a DGAP

A DGAP, em nota, afirmou que “trabalha de maneira transparente e está sempre à disposição dos órgãos parceiros para eventuais vistorias de órgãos de controle e fiscalização”.

No entanto, conforme a autarquia, há situações “excepcionais como as desta data, em que estão envolvidas questões técnicas e de segurança, as vistorias precisam ser sobrestadas ou reprogramadas para outras datas”.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.