Jovem de 21 anos vai parar na UTI e morre após arrancar os sisos, em Jataí

Ela apresentou piora gradual no quadro, chegando a ser internada na UTI, onde faleceu sem sequer retirar os pontos

Samuel Leão Samuel Leão -
Hospital Estadual de Jataí Dr. Serafim de Carvalho. (Foto: Divulgação)

Uma jovem, de 21 anos, passou por complicações após realizar uma retirada de sisos, e acabou falecendo na madrugada deste domingo (10). O caso aconteceu em Jataí e teve início no dia 29 de fevereiro, quando ela passou pelo procedimento.

Após retirá-los, em uma clínica odontológica da cidade, ela recebeu pontos na boca, que fecharam as feridas abertas de onde estavam os dentes. A retirada dos pontos ficou marcada para o dia 07 de março, entretanto, ela começou a apresentar problemas bem antes da data.

No dia 05, o marido a levou ao Hospital Estadual de Jataí Dr. Serafim de Carvalho, onde descobriu que ela poderia estar com o vírus da Chikungunya, segundo os médicos. No entanto, ela apenas tomou dipirona e foi mandada de volta para casa.

Apesar disso, apresentou uma piora no quadro e teve que ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Jataí, no dia 06, quando recebeu soro na veia. O marido relata que, na ocasião, ela recebeu apenas uma visita de um médico.

No dia seguinte, que seria a data na qual ela tiraria os pontos, foi transferida novamente para o Hospital Serafim de Carvalho, no qual o médico só a teria acompanhado na manhã de sexta-feira (08), e depois somente outra vez, na manhã de sábado (09).

O marido relatou que, naquele ponto, ela já estava muito inchada e com dores ao mínimo toque. Na parte da tarde, foi transferida para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), na qual ela resistiu até a madrugada seguinte.

Por volta das 03h deste domingo (10), ela acabou não aguentando e morreu em decorrência de uma infecção na boca, que teria causado um choque céptico. A possibilidade da contaminação por Chikungunya foi descartada, e ela acabou falecendo sem sequer retirar os pontos.

O caso foi registrado como homicídio culposo, e deverá ser investigado pela Polícia Civil (PC), para esclarecer as causas da fatalidade e verificar se houve qualquer tipo de erro nos procedimentos.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade