PublicidadePublicidade

Modelo que ostentava fotos sensuais com armas trava batalha para sair da cadeia

Ela, que é de São Paulo, foi localizada pela Polícia Civil em Anápolis momentos antes do casamento da irmã

Da Redação Da Redação -
PublicidadePublicidade

O pedido de liberdade feito pela defesa de Gabriela Sara Vasconcelos Assunção, de 19 anos, foi negado pela 13ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) na última quinta-feira (19).

Suspeita de estar envolvida com uma organização criminosa que atua no tráfico de armas no interior paulista, a modelo foi presa preventivamente em Anápolis no último 16 de novembro.

Na ocasião, a jovem foi localizada de surpresa pela Polícia Civil (PC) momentos antes do casamento da irmã.

PublicidadePublicidade

“[Ela] chegou a argumentar que já havia sido presa e solta, então foi explicado a ela que havia sido expedido novo mandado de prisão”, explicou à época o delegado Pedro Caires.

Em outubro, ela foi colocada em liberdade após passar audiência de custódia em Bebedouro (SP). Gabriela e o namorado, Thiago Vieira da Silva, de 24 anos, haviam sido detidos com diversas armas no município paulista.

Dez pistolas de calibre 9mm, um fuzil calibre 223 e quase 500 munições de armas de uso restrito às forças armadas estavam no arsenal, que seria levado para Belém (PA).

Sensualidade e ostentação

(Foto: Reprodução)

Fotos sensuais encontradas no celular do celular da modelo, derrubaram a versão que ela deu em audiência de custódia.

Gabriela havia afirmado não ter conhecimento das armas, mas aparecia em diversas imagens fazendo pose e ostentando as armas.

Com isso, a Justiça entendeu que ela não só tinha conhecimento como também participava do tráfico. A jovem ainda não foi recambiada para SP.

No pedido de liberdade negado na quinta-feira (19), a defesa argumentou que Gabriela é réu primária, tem bons antecedentes e é mãe de uma menina de quatro anos, que vive com a avó e sofre com a ausência dela.

O relator do caso, desembargador Cardoso Perpétuo, salientou que todos esses os argumentos já tinham sido apresentados e negados em outro pedido no final de novembro.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade