PublicidadePublicidade

Serial killer ainda não foi encontrado e o passado mostra o quanto ele é perigoso

Gigantesca força-tarefa foi montada por Goiás e Distrito Federal na caçada a Lázaro Barbosa

Da Redação Da Redação -
(Foto: Divulgação)

Passa de 200 o número de policiais que estão participando da super força-tarefa criada para encontrar o serial killer Lázaro Barbosa, de 32 anos, que desde a quarta-feira (09) está cometendo crimes e fazendo vítimas em Goiás.

Ele foi visto pela última vez nas proximidades de Cocalzinho e as forças policiais estariam percorrendo toda a região a pé, com cães farejadores, drones e com helicópteros da Polícia Militar de Goiás e da Polícia Civil do Distrito Federal.

Estão envolvidos na ação: policiais militares, civis, policiais rodoviários federais e policiais federais, sendo que um gabinete técnico precisou ser montado para que as equipes consigam traçar em conjunto as estratégias de localização.

PublicidadePublicidade

(Foto: Divulgação)

Ao G1, o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, afirmou que há também viaturas de plantão nas proximidades de fazendas para evitar novos ataques.

“Ele é da região [Entorno do DF] e é mateiro, acostumado a se ‘emburacar’ em vários pontos. Tudo indica que é um psicopata. Estamos com 8 vítimas confirmadas, sendo cinco fatais”, contou.

(Foto: Divulgação)

Em tempo

Lázaro é suspeito do assassinato de toda uma família de Ceilândia (DF) no dia 09, composta por um casal de empresários e dois filhos, sendo um deles um adolescente de apenas 15 anos.

Na noite de sábado (12), ele invadiu uma fazenda da zona rural de Cocalzinho. Abrindo caminho a tiros, acertou três pessoas e fez o caseiro de refém enquanto trocava tiros com a polícia.

Duas armas de fogo e munições correspondentes foram roubadas da propriedade antes que Lázaro conseguisse fugir em um carro. Ele pegou a rodovia e voltou para a mata, abandonando o veículo, quando encontrou uma barreira policial.

O Hospital Estadual de Urgências de Anápolis Dr. Henrique Santillo (HUANA) recebeu duas das vítimas do serial killer na madrugada de domingo (13). Uma recebeu alta hospitalar, enquanto o outro segue internado em estado grave, porém estável.

Outros crimes

A execução da família de Ceilândia não foi a primeira ação criminosa de Lázaro. Ele já havia sido preso em 2018 e, por ter conseguido fugir, estaria sendo procurado por crimes de roubo, estupro e porte ilegal.

O homem também já foi condenado por um homicídio na Bahia e, em 2020, invadiu uma propriedade rural para um assalto. Na ocasião, fez quatro idosos de reféns, os agrediu e acertou um deles na cabeça com um machado. O caso foi registrado como tentativa de latrocínio.

Em abril deste ano, Lázaro teria invadido uma residência em Sol Nascente (DF), trancado pai e filho dentro de um quarto e estuprado uma mulher em um matagal.

Já em maio, fez outra família refém, na mesma região, usando uma faca e uma arma de fogo. Neste caso, mandou todos ficarem nus, prendeu os homens em um cômodo e fez as mulheres servirem um jantar para ele.

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade