PublicidadePublicidade

Lázaro Barbosa está cansado, acuado e ficando mais perigoso, afirma secretário

Força-tarefa para encontrar o serial killer já entrou no oitavo dia e ideia de acionar Força Nacional está descartada

Da Redação Da Redação -
(Foto: Divulgação / SSP)

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse em entrevista à imprensa, na manhã desta quarta (16), que as forças policiais estão cada vez mais perto de pegar Lázaro Barbosa, já que ele está cansado e com dificuldades para encontrar comida.

As buscas pelo serial killer já ocorrem há oito dias e, segundo o Metrópoles, tudo indica que ele permanece na mesma região de Edilândia, povoado de Cocalzinho, onde teria se movimentado pela mata nas primeiras horas do dia.

“Está cansado e acuado. Dessa forma, fica mais perigoso, mas, também, mais suscetível à nossa chegada. Ontem, nós ficamos muito perto dele. Hoje, nós vamos pegar”, afirmou Rodney.

PublicidadePublicidade

“Hoje, temos uma área um pouco menor para trabalhar. A Polícia Militar de Goiás, com apoio do Bope do DF, vai saturar alguns perímetros delimitados pela gente. E as polícias Civil, tanto de GO quanto do DF, vão atender as informações e filtrar por meio da inteligência”, explicou o chefe da pasta.

(Foto: Divulgação / SSP)

Mudança de estratégia

Durante a entrevista, o secretário afirmou que decidiu desmobilizar as tropas envolvidas da operação. O posto criado há três dias em Edilândia para traçar estratégias também será transferido para o povoado de Girassol, onde tem mais espaço e sinal de internet de maior qualidade.

“Optamos por deixar somente as especializadas no local. DF e Goiás. A nossa, logicamente com presença maior, porque estamos na nossa área. Vamos manter aquelas que estão com conhecimento profundo da região”, sustenta.

“Também conseguimos um apoio do Exército para rádios que funcionam em frequências dentro da mata, e estamos avançando a cada dia. Controlando a ansiedade da população. Ele vai ser pego. Vamos ficar o tempo que precisar”, acrescentou.

Rodney não quis falar quanto a operação está custando, porque a intenção é “poupar vidas”. Ele também descartou a ideia de convocar a Força Nacional para participar da ação.

“Todo o apoio que precisamos está aqui. A PRF e a PF também estão aqui conosco. É uma questão de horas ou, no máximo dias, para tirarmos esse sujeito daqui. Não vamos sair enquanto não achá-lo”.

O que já se sabe sobre o serial killer Lázaro Barbosa

PublicidadePublicidade

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade