Delegado arbitra fiança de R$ 100 mil para motorista bêbado em Anápolis

Justificativa do jovem não convenceu e ele se complicou ainda mais com a Justiça

Da Redação -

Atualizado às 16h10 com novas informações

Após se envolver em um acidente na Avenida Pedro Ludovico, na madrugada de domingo (03), o motorista João Lucas Silva Cabral, de 19 anos, teve de ser levado à Central de Flagrantes.

Conforme a Polícia Militar, o jovem dirigia um VW Voyage quando bateu com uma Honda Biz que seguia no caminho contrário.

PublicidadePublicidade

No momento da colisão, João Lucas justifica ter ido para casa socorrer o pai e, por isso, não prestou nenhum tipo assistência ao motociclista, que é menor de idade. Uma testemunha acionou a viatura e aguardou a chegada dos policiais.

A vítima teve de ser internada no Hospital Municipal Jamel Cecílio com uma fratura e precisará passar por cirurgia e se afastar de qualquer atividade por, pelo menos, 90 dias. Já os agentes iniciaram uma espécie de força-tarefa para localizar João Lucas.

Depois de encontrado, foi levado até o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), onde o teste do bafômetro resultou em 0.60 mg/l, o dobro permitido pela Lei. Na delegacia, ele recebeu uma autuação por lesão corporal.

Responsável pelo caso, o delegado Ariel de Oliveira Martins contou ao Portal 6 que a tipificação do crime sofreu alterações por meio de um despacho e agora o rapaz terá de responder por embriaguez ao volante e omissão de socorro.

‘O fato da vítima ser menor de idade e inabilitado não é o caso de aliviar a responsabilidade do conduzido quanto ao fato de que foi flagrado com alto teor alcoólico. Além do mais, o conduzido deixou de prestar socorro à vitima. Socorrer seu genitor não o impediria de socorrer também a vítima, ou na impossibilidade de fazê-lo, solicitar auxílio da autoridade pública’, escreveu no documento.

Sob a justificativa da gravidade em se dirigir embriagado, o delegado arbitrou a fiança de João Lucas em 100 salários mínimos, que dá o valor total de R$99.800.

Como o rapaz não tinha o dinheiro, foi encaminhado para o Centro de Inserção Social Monsenhor Luís Ilc, a cadeia Pública de Anápolis.

“Eu não posso estimar quanto será necessário para indenizar uma vítima assim lá na frente. Caso comprove ao final das investigações a culpa do João Lucas por não ter prestado socorro, a fiança foi estipulada nesse valor. Como ele não pagou, vai passar pelo crivo agora do juiz, que poderá arbitrar o valor que julgar necessário, com mais elementos disponíveis do que ocorreu”, disse à reportagem.

Em tempo

Ainda segundo o delegado Ariel de Oliveira Martins, 139 ocorrências envolvendo embriaguez no trânsito já foram registradas em Goiás nos últimos dias.

Deste número, 21 ocorreram em Anápolis, o que corresponde a 15% dos casos.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.