Kajuru se torna réu no STF por chamar políticos de “bandido” e “pateta desprezível”

Ministros destacaram que a imunidade parlamentar não é um direito absoluto e políticos podem sim ser responsabilizados

Augusto Sobrinho -
Plenário do Senado Federal durante sessão não deliberativa. (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

O senador Jorge Kajuru (Podemos) se tornou réu, nesta terça-feira (03), no Supremo Tribunal Federal (STF), por injúria e difamação devido ataques ao senador Vanderlan Cardoso (PSD) e ao ex-ministro das cidades Alexandre Baldy (PP).

Por três votos a dois, os ministros da Segunda Turma do STF aceitaram as seis ações penais contra o político, que é acusado de ter feito declarações ofensivas através das redes sociais.

As publicações são de 2019, onde Baldy foi chamado de “bandido”, “golpista”, “aproveitador”, “malandro”, “vigarista”, “rei do toma lá dá cá” e “corrompível”.

Vanderlan também foi classificado como “pateta desprezível” e “senador turista” que “entrou na política por negócio” e “cuja fortuna ninguém sabe de onde veio”.

Na decisão, os ministros destacam que a imunidade parlamentar não é um direito absoluto e que os detentores de mandatos legislativos podem sim ser responsabilizados por manifestações em redes sociais.

Através do Twitter, Kajuru disse que vai recorrer da decisão e alegou que a abertura das ações são um “pano de fundo” e uma “vingança” por ter pedido uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra o STF.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.