PublicidadePublicidade

Para garantir a ordem, juiz mantém preso motorista que matou jovem em Anápolis

MP também participou da audiência de custódia e chegou a pedir liberdade provisória de Milton sob três condições

Da Redação Da Redação -

O juiz Fernando Augusto Chacha de Rezende decretou a prisão preventiva de Milton Rodrigues dos Santos, de 54 anos, durante audiência de custódia realizada na tarde desta segunda-feira (09), em Anápolis.

Ele estava detido deste a última quinta-feira (05), depois que entrou em alta velocidade na contramão da Avenida Brasil Sul e vitimou o farmacêutico e recém-casado Murilo Pedatella Jaime, de 28 anos.

Ao Portal 6, o Ministério Público de Goiás (MP-GO) confirmou que chegou a pedir a liberdade provisória de Milton. A condição era de que ele tivesse a habilitação suspensa, pagasse uma fiança no valor de dez salários mínimos e fosse proibido de deixar a cidade.

O magistrado, no entanto, defendeu que a prisão deveria ser mantida para “garantir a ordem pública”.

“Não há, neste momento, o mínimo indício de ter sido efetivamente o problema de saúde mencionado pelo autuado a causa do acidente, pois não consta dos autos qual era o seu estado logo após o ocorrido. Deste modo, não há como se atestar, ao menos nesta marcha processual, se sofreu mesmo uma crise convulsiva, visto que há, até o presente momento, apenas, uma hipótese diagnóstica”, afirmou.

Veja a decisão do juiz Fernando Augusto Chacha de Rezende na íntegra.

Em tempo

Conduzindo um Chevrolet Monza, Milton Rodrigues dos Santos descia pela Avenida Brasil Sul, sentido Centro, em alta velocidade e na contramão. Próximo da Prefeitura de Anápolis, ele invadiu a calçada, atropelou Murilo Pedatella, que estava em um patinete, e depois atingiu um motociclista.

Murilo morreu antes mesmo da chegada do socorro. Já o piloto da motocicleta, identificado como Benedito Sanches Carvalho, de 51 anos, teve fraturas expostas e precisou ser encaminhado ao Hospital Estadual de Urgências de Anápolis (HUANA).

Milton chegou a ficar preso nas ferragens, mas por não ter se ferido gravemente, recebeu alta do Hospital Municipal Jamel Cecílio (HMJC) e foi levado diretamente para a Delegacia Especializada em Investigação de Crimes de Trânsito (DICT).

Teste de alcoolemia comprovou que ele não havia ingerido bebidas alcoólicas. No entanto, o homem confessou ao delegado Manoel Vanderic que faz uso de medicamentos fortes para controlarem a Epilepsia e já havia sido orientado e advertido pelos médicos a tomar cuidado enquanto estivesse dirigindo pelas ruas da cidade.

Milton também afirmou já ter provocado outro acidente de trânsito e alegou ainda não se lembrar de nada do que aconteceu.

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade