Com fim das restrições, Carnaval de SP poderá ter arquibancadas lotadas

Volta dos desfiles teve de ser adiada da data original em decorrência da variante ômicron, que superlotou a rede pública de saúde no fim do ano passado e no início deste

Folhapress -
Ensaio da escola Vai-Vai, que volta ao Grupo Especial do Carnaval de São Paulo neste ano – Rivaldo Gomes – /Folhapress

(FOLHAPRESS) – A maioria dos protocolos publicados pela Secretaria Municipal da Saúde em 19 de janeiro, como forma de autorizar os desfiles das escolas de samba do Carnaval de São Paulo para meados de abril, não será mais adotada por causa da flexibilização das regras sanitárias, como o fim da exigência do uso de máscara e o da limitação do número de pessoas em eventos públicos.

A volta dos desfiles, que não ocorreram em 2021, teve de ser adiada da data original, em fevereiro, em decorrência da variante ômicron, que superlotou a rede pública de saúde no fim do ano passado e no início deste, com altas taxas de transmissão do vírus da Covid-19.

Quando fez a liberação em janeiro, a pasta da Saúde determinou que deveriam ser seguidas regras como a exigência de passaporte de vacina para público e componentes das escolas, uso obrigatório de máscara, inclusive para quem desfilasse na avenida, controle de público na concentração e dispersão, número menor de componentes nas agremiações e ocupação de, no máximo, 70% das arquibancadas.

O uso de máscara deixou neste mês de ser obrigatório em todo o estado -manteve-se a exigência para transporte público, terminais e estações, hospitais e serviços de saúde. Também acabaram os limites de público.

Assim, segundo a própria prefeitura, o Sambódromo do Anhembi, na zona norte da cidade, poderá ter arquibancadas cheias nos desfiles que começam no próximo dia 16, com o grupo de Acesso 2, e terão continuidade nos dias 21, 22 e 23 de abril, com os grupos Acesso I e Especial.

A obrigatoriedade do passaporte de vacina continua valendo, assim como em todos os eventos na cidade.

Nem a Liga-SP, que gerencia o Carnaval paulistano, nem a Secretaria Municipal da Saúde disseram como vai ser o controle na concentração e na dispersão. A determinação do protocolo de janeiro proibia aglomeração na chegada das escolas. Cada agremiação iria ao local em horários pré-determinados, em ônibus da prefeitura, com no máximo 35 pessoas em cada veículo.

“No decreto que retirava a máscara, nós já havíamos colocado essa questão da utilização plena dos equipamentos”, afirma Edson Aparecido, titular da pasta da Saúde da gestão Ricardo Nunes (MDB).

O secretário diz que a revogação no último sábado (26) de artigo do decreto que instituiu em 16 de março de 2020 o regime de emergência na cidade, por causa da pandemia, consolida a liberação total de público nas arquibancadas do sambódromo.

“Vamos ter 100% sem uso de máscara, vai na mesma linha do esporte”, afirma Aparecido, que cita a vacinação, que na capital tem 72% das pessoas imunizadas com três doses, e a queda no número de internações por Covid-19.
Segundo a assessoria de imprensa da Liga-SP, até 30 mil pessoas por noite podem acompanhar os desfiles no Anhembi nas arquibancadas.

A venda física de ingressos -que já era realizada pela internet desde o ano passado, quando ainda nem se sabia se o Carnaval voltaria em 2022–, começou no último sábado (26). Os valores variam de acordo com o setor e dia escolhido, com preços a partir de R$ 90 para arquibancada do grupo Especial.

Segundo Aparecido, as escolas estão liberadas para saírem com todos os seus componentes.

A Liga-SP afirma, também por meio de assessoria, que o número mínimo será de 1.500 componentes para cada escola de samba. De acordo com o protocolo de janeiro, “uma agremiação do grupo Especial, que desfilava com 2.000 componentes até 2020, passará a desfilar com 1.500 em 2022”.

Em 2020, a campeã Águia de Ouro entrou no sambódromo com 2.500 pessoas.

Na semana passada, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo liberou a participação de crianças entre 6 e 11 anos nos desfiles e ensaios.

Desde o dia 11, as escolas realizam ensaios técnicos no Anhembi às sextas, aos sábados e aos domingos. A entrada é gratuita, mas, assim como nos desfiles, é obrigatória a apresentação de comprovante de vacinação completa, com duas doses.

 

Veja a programação dos desfiles 16 de abril, sábado
Grupo de Acesso 2
20h – Brinco da Marquesa
20h50 – Camisa 12
21h40 – Uirapuru da Mooca
22h30 – Primeira da Cidade Líder
23h20 – Unidos de Santa Bárbara
0h10 – Torcida Jovem
1h – Nenê de Vila Matilde
1h50 – Unidos do Peruche
2h40 – Imperador do Ipiranga
3h30 – Amizade Zona Leste
4h20 – Tradição Albertinense
5h10 – Dom Bosco de Itaquera
21 de abril, quinta-feira

Grupo de Acesso
20h – Morro da Casa Verde
21h – Camisa Verde e Branco
22h – Mocidade Unida da Mooca
23h – Independente Tricolor
0h – Estrela do Terceiro Milênio
1h – X-9 Paulistana
2h – Leandro de Itaquera
3h – Pérola Negra
22 de abril, sexta-feira

Grupo Especial
23h15 – Acadêmicos do Tucuruvi
0h20 – Colorado do Brás
1h25 – Mancha Verde
2h30 – Tom Maior
3h35 – Unidos de Vila Maria
4h40 – Acadêmicos do Tatuapé
5h45 – Dragões da Real
23 de abril, sábado

Grupo Especial
22h30 – Vai-Vai
23h35 – Gaviões da Fiel
0h40 – Mocidade Alegre
1h45 – Águia de Ouro
2h50 – Barroca Zona Sul
3h55 – Rosas de Ouro
5h00 – Império de Casa Verde

Venda de ingressos
Pela internet
No site clubedoingresso.com/carnavalsp
Presencialmente
Portão 1 do Sambódromo do Anhembi (avenida Olavo Fontoura, 1209, Santana, zona norte)
Todos os dias, das 12h às 20h
Fonte: Liga-SP

Você tem WhatsApp ou Telegram? É só entrar em um dos grupos do Portal 6 para receber, em primeira mão, nossas principais notícias e reportagens. Basta clicar aqui e escolher.

PublicidadePublicidade